• Período "blackout" prestes a começar
    Fonte: Deutsche Bank
    buybacks

    O mercado accionista norte-americano vai perder um participante-chave no segundo trimestre do ano: a América corporativa. 

    A época de apresentação de resultados do primeiro trimestre impõe um bloqueio à recompra de acções próprias durante cerca de cinco semanas posteriores à divulgação das contas.
     
    De acordo com o Deutsche Bank, o número de empresas do índice S&P 500 em "blackout" aumentará acentuadamente a partir da última semana de Março e vai atingir o pico em meados de Abril, o que implica um ritmo reduzido de recompras. 
  • S&P 500 em máximos do ano mas divergência com obrigações e "flows" persiste
    O índice S&P 500 está em máximos do ano, depois de atingir os 2830 na última Sexta-feira. No entanto, existe uma divergência com as obrigações e "flows".

    sp500

    Os juros das obrigações EUA a 10 anos estão abaixo de 2,60% com os gestores a aumentarem a sua alocação em obrigações. A proporção de obrigações soberanas a nível global com juros negativos também continua a aumentar. Na Alemanha, por exemplo, as taxas de juro são negativas até 9 anos.

    yield

    Em Janeiro, os fundos accionistas especializados em acções americanas sofreram resgates de €26,1 mil mn. No enquanto, as acções continuam a valorizar mas com a ajuda das recompras de acções pelas próprias empresas que estima ser $940 mil mn este ano (vs. $819 mil mn em 2018 e $550 mil mn em 2017).

    0

    Outro factor relevante tem sido as compras por parte de investidores com posições curtas ("short covering"). O índice das acções com maiores posições a descoberto tem subido 22,49% desde o início do ano comparado com os ganhos do índice S&P 500 de 12,59% em 2019.

    short

    Vamos ver se este "rally" poderá ser equivalente ao de 2016/17 quando também se verificou divergências semelhantes.
  • Juros das obrigações a 10 anos em mínimos de 25 anos
    Fonte: Thomson Reuters
    10yr

    A agência de notação financeira Standard & Poor’s aumentou o "rating" de Portugal em um nível para BBB. A melhoria da notação financeira do país foi justificada com o excedente orçamental primário de perto de 3% do PIB do ano passado, o que colocou "o rácio da dívida pública no PIB numa firme trajetória descendente".

    Os juros da obrigações portugueses a 10 anos está a negociar abaixo de 1,30% neste momento.
  • Bolsas europeias "flat" com possível fusão entre Deutsche Bank e Commerzbank
    Fonte: Banco Invest
    180319

    Os mercados europeus abriram "flat" com os investidores optimistas em relação à fusão entre Deutsche Bank e Commerzbank. Os bancos alemães anunciaram que vão avançar com negociações formais para criar o quarto maior banco europeu.

    A agência de notação financeira S&P subiu o rating de Portugal na Sexta-feira de BBB- para BBB. No entanto, o "outlook" passou de "positivo" para "estável", o que significa que, nos próximos tempos, não estará nos planos da agência voltar a subir a nota de Portugal.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,62% e as praças chinesas encerraram em máximos de seis meses e meio após os progressos substanciais nas negociações comerciais depois de uma conversa telefónica entre o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, o representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer e o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no verde animadas pelo sector tecnológico devido aos progressos das conversações entre a China e os EUA. A sessão foi muito volátil devido ao "quadruple witching" quando se dá o vencimento simultâneo de futuros e opções sobre índices e sobre acções.

    Dados Macroeconómicos:

     00h01: Preço das Casas (Mar)

     04h30: Produção Industrial (Jan)

     10h00: Balança Comercial (Jan)

     14h00: Índice das Casas NAHB (Mar)


    Eventos:

     Discursos de vários membros do BCE: Praet (12h10) e Guindos (13h15)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Empresas entregam mais lucros aos accionistas

     Sondagem: Costa em perda, Marcelo recupera

     Turismo: Grupo Younan tem 50 milhões para comprar "resorts" e hotéis

     Montepio já pagou um milhão para defender Tomás Correia

     Novos pedidos de nacionalidade aumentaram 50% em dois anos

     Cinco anos depois Rússia manda na Crimeia mesmo com Ucrânia a resistir e Ocidente a não gostar

     Hospitais já não precisam de Centeno para contratar

     BES: Banco de Portugal agiu bem na resolução

  • 18 a 22 de Março 2019
    Fonte: Banco Invest
    cal
    Os bancos centrais voltam a ser o foco na próxima semana com a realização de várias reuniões de política monetária, nomeadamente, Reserva Federal EUA (dia 20), Banco de Inglaterra (dia 21), Banco Nacional Suíço (dia 21) e Banco Central da Noruega (dia 21).

    Em relação ao Brexit, o Parlamento britânico tem até dia 20 de Março para aprovar o acordo de saída negociado com Bruxelas. Caso este seja novamente rejeitado, pela terceira vez, o governo vai pedir à União Europeia uma extensão do Artigo 50 do Tratado de Lisboa. O Conselho Europeu está marcado para 21 de Março em que os outros 27 países terão que votar a favor da extensão do Artigo 50.

    Estes são os principais eventos:

    Segunda-feira, 18 de Março 2019

    • 10h00: Balança Comercial Zona Euro 
    • Discursos de vários membros do BCE: De Guindos (13h15) e Praet (15h10) 

    Terça-feira, 19 de Março 2019

    • 09h30: Desemprego Reino Unido 
    • 10h00: Índice de Sentimento Económico ZEW Zona Euro
    • 14h00: Encomendas de Bens Duradouros EUA
    • Resultados Europa: Iliad (AA), Porsche, Frapot, Poste Italiane, Antofagasta
    • Resultados EUA: FedEx (20h15)

    Quarta-feira, 20 de Março 2019

    • 09h30: Inflação Reino Unido
    • 18h00: Decisão da taxa de juro da Reserva Federal EUA e conferência de imprensa com Jerome Powell, presidente da Fed
    • Resultados Europa: BMW, Hermes International (AA), MAN, Kingfisher
    • Resultados EUA: Micron Technology, General Mills (11h00)

    Quinta-feira, 21 de Março 2019

    • Conselho Europeu em Bruxelas (até dia 22)
    • Decisão da taxa de juro do Banco Nacional Suíço (08h30), Banco Central da Noruega (09h00) e Banco de Inglaterra (12h00)
    • 12h30: Pedidos Subsídio Desemprego EUA 
    • 15h00: Confiança dos Consumidores Zona Euro
    • Resultados Portugal: Sonae SGPS (AA), Redes Energéticas Nacionais (DF)
    • Resultados Europa: Enel, Wendel (AA), HeidelbergCement, Next
    • Resultados EUA: Carnival, Darden Restaurants (AA), Cintas, Conagra Brands (11h30), NIKE (20h15)

    Sexta-feira, 22 de Março 2019

    • Índice PMI Industrial e de Serviços Zona Euro (09h00) e EUA (13h45)
    • 14h00: Vendas de Casas Usadas EUA
    • 18h00: Saldo Orçamental EUA
    • Resultados EUA: Tiffany

    Para consultar a agenda semanal, aceda ao link abaixo: 

    Agenda Semanal - 18 a 22 de Março 2019

    Para consultar os resultados empresariais, aceda ao link abaixo: 

    Resultados Empresariais - 18 a 22 de Março 2019
  • Novos "tick sizes" a partir do dia 1 de Abril de 2019
    Fonte: Euronext
    ticker

    A Euronext irá implementar novos "tick sizes" a partir do dia 1 de Abril de 2019.

    Em Portugal, as acções afectadas serão Altri, EDP Renováveis, Farminveste, Impresa, Inapa Preferencial, Mota-Engil, Ramada, Redes Energéticas Nacionais, Sonagi e Transinsular.

    Por conseguinte, as ordens nas acções acima-mencionadas, com data de validade posterior a 29 de Março de 2019 serão eliminadas pela Euronext no fim dessa sessão.

    Consulte a listagem completa das acções da Euronext aqui.
  • As próximas datas-chave
    Fonte: ING
    brexit

    Os deputados britânicos aprovaram a moção apresentada pela primeira-ministra britânica, Theresa May, que permite adiar o Brexit até pelo menos 30 de Junho, caso o parlamento britânico aprove o acordo de saída negociado com Bruxelas até 20 de Março.

    Na eventualidade desse acordo ser novamente rejeitado, pela terceira vez, o governo do Reino Unido fica agora autorizado a pedir à União Europeia uma extensão do Artigo 50 do Tratado de Lisboa. Mas nesse cenário, o adiamento do Brexit só será possível se os restantes 27 países da União Europeia o permitirem.

    O adiamento poderá ser muito mais do que três meses porque o Reino Unido terá que participar nas eleições para o Parlamento Europeu, previstas para o mês de Maio deste ano.
  • Mercados europeus optimistas com adiamento do Brexit
    Fonte: Banco Invest
    150319

    Os mercados europeus abriram no verde após o governo britânica ter votado pelo adiamento de uma possível saída caótica da União Europeia. Na próxima semana, a proposta da Primeira-Ministra May será novamente discutida. Se for aprovada, então o Reino Unido pedirá à UE uma extensão de 3 meses deste processo. Se a proposta for rejeitada, o Reino Unido pedirá um prolongamento mais alargado.

    Hoje a Standard & Poor's pronuncia-se sobre a dívida soberana portuguesa, um mês depois da Moody's ter deixado o "rating" de Portugal inalterado. A Standard & Poor's mantém a notação de Portugal em "BBB-", desde 2017, mas subiu o "outlook" para positivo na última avaliação. Os analistas acreditam que a agência de notação financeira pode subir em um nível a nota de Portugal hoje.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,77% no dia em que o Banco do Japão manteve inalterada a sua política económica com as taxas de juro nos -0.10%. As praças chinesas encerraram com ganhos após o governo chinês ter anunciado que a China vai adoptar "medidas fortes" para contrariar o abrandamento económico, sugerindo reformas orientadas para o mercado, em detrimento de mais crédito e gastos públicos deficitários.

    As bolsas norte-americanas encerraram em terreno misto com a notícia da Bloomberg de um provável atraso nas conversações comerciais entre EUA e China para além da divulgação dos dados das vendas de casas novas nos Estados Unidos, que foram aquém das expectativas.

    Dados Macroeconómicos:

     07h00: Preços dos Grossistas (Fev)

     10h00: Inflação (Fev)

     10h00: Inflação (Fev)

     12h30: Empire Manufacturing (Mar)

     13h15: Produção Industrial (Fev)

     13h15: Utilização de Capacidade Instalada (Fev)

     14h00: Índice de Confiança da Universidade de Michigan (Mar)


    Eventos:

     Vencimento de futuros e opções

     Reunião de política monetária do Banco do Japão

     09h00: Discurso de Rehn, membro do BCE

     Standard and Poor's anuncia rating de Portugal


    Resultados:

     Glintt


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Governo corta 34 cargos de topo na supervisão

     Analistas esperam que S&P melhore "rating" de Portugal

     ADSE quer castigar más práticas dos privados

     Pensões: PS chumba alívio nos cortes proposto por Bloco e PCP

      Governo fura meta do défice mesmo sem o Novo Banco

     Funcionários públicos não conseguem aceder à pré-reforma

     Beto O'Rouke: A nova esperança democrata contra Trump em 2020

     Embaixador dos EUA revela que Trump vai bloquear OPA chinesa à EDP

     Espírito Santo têm 884 milhões fazendas no Paraguai

     Participação accionista de Nelson Tanure na Pharol gera fortes dúvidas nos outros accionistas

     Nova lei e precedentes devem ditar saída de Tomás Correia da Associação Mutualista Montepio

  • O que acontece num minuto na Internet em 2019?
    Fonte: Visual Capitalist
    internet-minute-820

    Como é possível que 188 milhões de e-mails sejam enviados a cada minuto? 3,8 milhões de pessoas fazem pesquisas na Google em cada 60 segundos.

    Comparando com o ano anterior, as plataformas como a Instagram e Netflix cresceram a um ritmo alucinante, enquanto os "smart speakers" também aumentaram exponencialmente.

    internet

    Como será um minuto na Internet em 2020?
  • Surpresa! Índice macro do Citigroup recupera
    Fonte: Thomson Reuters
    citi
        
    Enquanto os investidores andam distraídos com o Brexit, guerras comerciais e um Banco Central Europeu mais "dovish", existe um indicador que tem vindo a melhorar.

    De acordo com a métrica do Citigroup, os dados económicos da Zona Euro têm superado as expectativas. O "Citi Economic Surprise Index", compilado pelo banco americano, está nos -35,5 enquanto o índice dos EUA indica -33,2.

    Um aumento deste índice significa que os dados económicos não têm surpreendido tão negativamente como antes e que poderá indicar uma melhoria do cenário macroeconómico na Zona Euro.
  • Mobilidade Eléctrica: Portugal em 7.º lugar
    Fonte: Statista
    electric

    Nos últimos anos o Salão Internacional do Automóvel de Genebra tem servido de palco para vários "concepts" eléctricos, que vieram confirmar o interesse das marcas nas novas motorizações. Este ano é que se sentiu que essa transição energética está mesmo para breve. O Salão de Genebra decorre até 17 de Março e apresentou muitos modelos eléctricos novos que marcarão as nossas estradas nos próximos anos.

    Apesar do crescimento robusto e vendas recorde de automóveis eléctricos, a quota de vendas de carros eléctricos ainda é abaixo de 5% em todos os países, excepto Noruega (49,14%), Islândia (19,14%), Suécia (8,01%) e Holanda (6,69%). Portugal surge no sétimo lugar com uma quota de 3,44% em 2018.
  • Reunião Trump-Xi adiado para finais de Abril
    Fonte: Bloomberg
    trump
    Segundo a Bloomberg, a reunião prevista entre o presidente EUA, Donald Trump e o presidente chinês, Xi Jinping para assinar um acordo para terminar a guerra comercial, não ocorrerá este mês e é mais provável que aconteça em Abril, no mínimo.
  • Índice STOXX 600 em máximos de 5 meses
    Fonte: Banco Invest
    EUR140319

    • K+S (SDF GY): A empresa alemã produtora de agroquímicos e sal apresentou um EBITDA anual de €606 mn, acima dos €589 mn esperados pelos analistas. As receitas foram €4 mil mn superando os €3,97 mil mn previstos. A K+S definiu um dividendo de €0,25 por acção e espera um EBITDA em 2019 entre €700 mn-€850 mn vs. €842 mn estimados pelos analistas.

    • Altri (ALTR PL): A produtora de pasta e papel obteve um lucro líquido de €194,5 mn em 2018, comparado com €96,1 mn no ano anterior em ano de produção recorde. O EBITDA fixou-se nos €292,7 mn contra €191,1 mn em 2017. As receitas totais foram €784,9 mn depois de no ano passado se terem fixado nos €665,8 mn. A Altri vai propor pagamento de dividendo de €0,72 por acção vs €0,30 por acção relativos a 2017.

    • Ramada Investimentos (RAM PL): A empresa obteve um lucro líquido de €69,7 mn em 2018, comparado com €56,6 mn no ano anterior. As receitas totais cresceram 61,7% para €129,4 mn vs. €80,1 mn em 2017. O EBITDA fixou-se nos €18,8 mn, depois de no período homólogo ter registado €17,3 mn. A Ramada vai propor um dividendo de €0,60 por acção, sendo que em Dezembro já tinha distribuído um dividendo intercalar de €1,15 por acção. A empresa vê o EBITDA do segmento industrial a cair no primeiro trimestre de 2019. 

    • RWE (RWE GY): A empresa alemã apresentou um EBITDA ajustado de €1,5 mil mn em 2018 aquém dos €1,55 mil mn estimados pelos analistas. A RWE indicou que planeia distribuir dividendos de €0,70 por acção relativos aos resultados de 2018, e dividendos de €0,8 por acção relativos aos resultados de 2019. A RWE estima um EBITDA ajustado em 2019 entre os €1,2 mil mn-€1,5 mil mn.

    • Casino Guichard (CO FP): A retalhista alimentar francesa apresentou um resultado operacional consolidado de €1,21 mil mn em linha com o esperado pelos analistas. A Casino definiu um dividendo anual de €3,12 por acção e aumentou o seu programa de venda de activos até o 1º trimestre de 2020 para €2,5 mil mn. A Casino definiu um objectivo de crescimento anual no resultado operacional de 10% até
    2021.

    • Lanxess (LXS GY): A empresa alemã que actua nos sectores químico e de polímeros. apresentou um EBITDA anual de €1,02 mil mn vs. €1,01 mil mn esperados pelos analistas. As receitas foram €7,20 mil mn superando os €7,09 mil mn previstos. A Lanxess definiu um dividendo por acção de €0,90 e indicou que espera um EBITDA em 2019 semelhante ao de 2018.

    • Cofina (CFN PL): A empresa de media apresentou um resultado líquido de €6,7 mn, o que representa um aumento de 31,3%. As receitas desceram 0,50% para €89,3 mn, com as receitas de circulação a diminuírem 6,1% e as de publicidade a descerem 5,3%. As receitas provenientes de "produtos de marketing alternativo e outros" subiram 28%, beneficiando com a inclusão nesta rubrica do contributo da CMTV.

    • Deutsche Lufthansa (LHA GY): A empresa alemã da aviação obteve resultados operacionais anuais de €2,84 mil mn acima dos €2,75 mil mn esperados pelos analistas. As receitas aumentaram 6% para €35,8 mil mn. A Lufthansa planeia distribuir um dividendo de €0,80 por acção. A empresa diminuiu os seus objectivos de crescimento para 2019 depois de ter assistido a uma queda de preços por bilhete e aumento dos custos com combustível.
  • Mercados europeus positivos em dia de mais uma votação no Reino Unido
    Fonte: Banco Invest
    140319

    Os mercados europeus abriram positivos no dia que a Casa dos Comuns vai votar se o Governo deve ou não solicitar à União Europeia uma extensão do prazo para abandonar o bloco, actualmente estabelecido para dia 29 de Março, em conformidade com o Artigo 50 do Tratado de Lisboa. Theresa May prefere um adiamento de alguns meses mas a União Europeia defende um prazo mais alargado tendo em conta que as eleições europeias ocorrem em Maio, e assim obrigaria o Reino Unido a participar nas votações para o Parlamento Europeu.

    A Organização dos Países Exportadores de Petróleo divulga hoje o seu relatório mensal para o mercado petrolífero. Os investidores aguardam a divulgação de novas perspectivas para a procura e para a produção.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 0,02% e as praças chinesas encerraram em queda após a desaceleração da produção industrial de 6,2% para 5,3% em Fevereiro. As vendas a retalho aumentaram 8,2%, em linha com as estimativas, mas abaixo do 9% do mês anterior.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no verde com o índice S&P 500 alcançando um máximo de cinco meses depois dos dados económicos divulgados ontem. As encomendas de equipamento empresarial em Janeiro registaram o maior aumento em seis meses. As acções da Boeing recuperaram 0,46% apesar do presidente dos Estados Unidos ter decidido ordenar a proibição de circulação dos aviões Boeing 737 Max no espaço aéreo do país.

    Dados Macroeconómicos:

     02h00: Produção Industrial (Fev)

     02h00: Vendas a Retalho (Fev)

     07h00: Inflação (Fev)

     07h45: Inflação (Fev)

     12h30: Índice Preços de Importação (Fev)

     12h30: Pedidos de Subsídio de Desemprego

     14h00: Vendas de Casas Novas (Jan)


    Eventos:

     09h30: Reunião do Conselho de Ministros

     OPEP apresenta o Relatório Mensal do Mercado do Petróleo

     16h00: Discurso de Visco, membro do BCE

     19h00: Votação no Parlamento Britânico de uma extensão do Brexit além de 29 de Março


    Resultados:

     Casino Guichard (AA), Deutsche Lufthansa (06h00), RWE (06h00), K+S (06h00), Generali (06h30)

     Broadcom (DF), Oracle (DF), Adobe (DF), Dollar General, Ulta Beauty, Linde


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Juros negativos do crédito ficam de fora do IRS

     Galp com gestão mais feminina prepara revolução tranquila

     Mecanismo do Novo Banco entra no ano com perdas de 649 milhões

     ADSE cria solução intermédia para chegar a acordo com privados

     Escolas com autonomia nem 40% dos seus objectivos cumpriram

     "Brexit" sem acordo foi rejeitado e May lança ultimato

     May quer negociar novo prazo de saída da UE mas insiste em ter antes acordo aprovado

     Bracinha Vieira diz que Novo Banco vai pedir 3.000 milhões ao Fundo de Resolução

     Imóveis, certificados e obrigações do Benfica. Onde investem os administradores do Banco de Portugal?

  • Tecnológicas já não são as mal-amadas
    Fonte: Bloomberg
    tech

    A rotação sectorial regressou com os investidores a voltarem para o sector tecnológico depois de ter sido repudiado na segunda metade de 2018.

    Devido às mudanças no índice S&P 500 no ano passado, o sector tecnológico depende principalmente de duas empresas, Microsoft e Apple, que têm uma ponderação combinada de 35%.

    Apple anunciou um evento para 25 de Março onde deverá apresentar o serviço de "streaming" de que tanto se fala. A Apple já investiu mais de mil milhões de dólares em Hollywood para a produção de conteúdos originais. As acções da Microsoft também negoceiam em máximos de cinco meses com estimativas de lucros crescentes.

    O sector tecnológico representa quase 21% da capitalização bolsista do índice S&P 500, logo uma rotação para este sector novamente, poderá levar este índice a valorizar ainda mais.
  • Mais uma empresa fénix?
    Fonte: Axios

    axiosboeing

    A fénix é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, ressurgia das próprias cinzas. Já não é a primeira vez que empresas enfrentaram grandes escândalos públicos mas depois conseguiram recuperar a sua reputação depois das crises.

    General Motors enfrentou dois escândalos consecutivos, com a falência da empresa em 2009, e depois o escândalo dos defeitos no sistema de ignição dos seus automóveis em 2014 mas agora reconquistou os seus clientes nos últimos anos. A CEO Mary Barra tomou posse depois da crise e conseguiu renovar a cultura da GM em resposta.

    Volkswagen, que inicialmente foi lenta em responder ao escândalo das emissões fraudulentas nos automóveis a diesel nos Estados Unidos, conseguiu relançar a sua marca, com a empresa apostando na produção de carros eléctricos.

    Agora a Boeing está a enfrentar um pesadelo depois de dois acidentes do Boeing 737 Max 8 em menos de cinco meses. 27 companhias aéreas em 15 diferentes países já suspenderam as suas operações com o Boeing 737 Max 8. Das 351 aeronaves a operar actualmente, 152 estão com os voos suspensos até serem reveladas as causas do acidente. 
  • Retalhistas em queda com resultados decepcionantes da Adidas e Inditex
    Fonte: Banco Invest
    eur130319
    • Salvatore Ferragamo (SFER IM): A empresa italiana de moda apresentou um resultado líquido anual de €90 mn abaixo dos €103,6 mn esperados pelos analistas mas foi devido a um pagamento de imposto de €9 mn. O EBITDA foi €214 mn em linha com os €213,8 mn previstos. A  Salvatore Ferragamo vai propor um dividendo por acção de €0,38.

    • Santander (SAN SM): A instituição financeira espanhola recebeu um "upgrade " para "outperform" de "sector perform" pela RBC devido ao crescimento da unidade brasileira do Santander. O preço-alvo também foi aumentado de €5,5 para €5,7 por acção. 

    • Innogy (IGY GY): A empresa alemã reportou um resultado líquido de €1,03 mil mn abaixo dos €1,06 mil mn previstos pelos analistas. A Innogy projecta um EBITDA ajustado de €2,3 mil mn e um resultado líquido de €850 mn em 2019, reiterando o objectivo de manter o payout ratio entre os 70% e 80%.

    • Symrise (SY1 GY): A produtora de sabores e fragrâncias alemã reportou um EBITDA anual de €631 mn acima dos €626,6 mn esperados pelos analistas. As receitas foram €3,15 mil mn superando os €3,14 mil mn previstos. A Symrise reiterou os objectivos de longo-prazo e indicou que espera uma margem de EBITDA de cerca de 20% em 2019.

    • E.ON (EOAN GY): A empresa divulgou um EBIT ajustado anual de €2,99 mil mn acima dos €2,93 mil mn esperados pelos analistas. Para 2019 a E.On espera um EBIT ajustado entre os €2,9 mil mn e os €3,1 mil mn em linha com o previsto pelos analistas de €2,97 mil mn. O dividendo por acção foi definido nos €0,43. 

    • Mediaset (MS IM): A empresa italiana apresentou um EBITDA anual de €1,07 mil mn aquém dos €1,20 mil mn esperados pelos analistas. As receitas foram €3,4 mil mn superando os €3,38 mil mn. Para 2019 a empresa antecipa um crescimento de receitas de publicidade em linha com o esperado pelos analistas.

    • Adidas (ADS GY): A empresa alemã reportou um resultado operacional no 4º trimestre de €129 mn aquém dos €141,3 mn esperados. As receitas foram €5,23 mil mn superando as previsões de €5,17 mil mn dos analistas. A Adidas aumentou o dividendo a distribuir em 2019 para €3,35 por acção e mostrou-se cautelosa em relação às vendas deste ano.

    • Inditex (ITX IM): A retalhista espanhola reportou um lucro anual de €3,44 mil mn aquém dos €3,48 mil mn esperados pelos analistas. O EBIT foi de €4,36 mil mn também abaixo do previsto de €4,41 mil mn. A Inditex irá propor um aumento no rácio de distribuição dos lucros em dividendos de 50% para 60%, propondo também o pagamento de um dividendo extraordinário de €1 por acção.
  • Mercados europeus na linha de água depois do chumbo da votação do Brexit
    Fonte: Banco Invest
    130319

    Os mercados europeus abriram na linha de água depois do segundo chumbo parlamentar sobre a saída do Reino Unido da União Europeia por uma larga maioria (391 votos contra e 242 a favor). Hoje o Parlamento voltará a ser chamado para votar sobre a possibilidade de uma saída sem acordo, um cenário conhecido como "no deal Brexit". Se o Parlamento aprovar o "no deal", teremos um "hard Brexit" e o Reino Unido sairá da UE sem acordo. 

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 0,99% e as praças chinesas encerraram em queda com os investidores cautelosos novamente com as incertezas em relação ao Brexit.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram em terreno misto depois da divulgação dos dados da inflação de Fevereiro, que aumentaram 0,2%, em linha com as previsões dos analistas. As acções da Boeing caíram 6,15% depois de vários países terem anunciado a interdição de voos em aviões Boeing 737 Max 8 e Max 9 depois do acidente fatal de Domingo.

    Dados Macroeconómicos:

     08h00: Inflação (Fev)

     10h00: Produção Industrial (Jan)

     12h30: Índice de Preços ao Produtor (Fev)

     12h30: Encomendas de Bens Duradouros (Jan)

     14h30: Reservas Semanais de Energia


    Eventos:

     10h30: IGCP realiza dois leilões das linhas de obrigações do Tesouro com maturidade em Julho de 2026 e em Junho de 2029, num montante indicativo global entre os €1000 mn e os €1250 mn

     17h00: Discurso de Coeure, membro do BCE

     Votação no Parlamento Britânico sobre um Brexit sem acordo


    Resultados:

     Altri (DF), Cofina (DF)

     Adidas (06h30), Inditex, E.ON, Standard Life Aberdeen, Prudential, WM Morrison Supermarkets, Lagardere (16h35)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Crédito em alta antes de nova descida dos "spreads"

     Licença obrigatória do pai aumenta para 20 dias úteis

     Brexit em suspenso após outra derrota estrondosa de May

     Accionista da Pharol quer colocar "homens" de Tanure

     EDP responde à Elliott e CTG com plano Mexia

     Casas são vendidas 22% abaixo do preço pedido pelos seus donos

     EDP quer dar três mil milhões aos accionistas até 2022

     Nova derrota de May abre porta a adiamento do "Brexit"

     Factur d luz vai baixar com maior aposta da EDP nas renováveis

     Têxtil vive nova crise

     Mexia sobre a OPA: "a CTG está a dar os passos necessários e obrigatórios"

     Mesquita Nunes e Sofia Tenreiro na nova administração da Galp

  • Internet faz 30 anos hoje
    Fonte: Google
    wwwwww
    Foi no dia 12 de Março em 1989 que Sir Tim Berners-Lee apresentou a primeira proposta do que viria a ser conhecida como a World Wide Web. Na altura o engenheiro de software com 33 anos apresentou a proposta ao seu superior como forma de melhorar a partilha de informações entre os cientistas e investigadores do laboratório de física nuclear CERN, na Suíça.

    Hoje, estão online quase dois mil milhões de sites. 2019 ficará para a história como o ano em que metade da população mundial estará online. 

    No entanto, existem alguns problemas dentro da web, como a pirataria, o assédio cibernético ou a propagação de fake news. Resolver estas questões não é tarefa fácil, mas Berners-Lee opta por uma abordagem radical, falando mesmo numa refundação da web.

    "A web é para todos e, colectivamente, temos o poder de mudá-la. Não será fácil. Mas se sonharmos um pouco e trabalharmos muito, podemos conseguir a web que queremos", segundo Berners-Lee.
  • Libra deprecia com comentários de Cox que riscos legais permanecem
    Fonte: Bloomberg
    gbp

    O procurador-geral do Reino Unido, Geoffrey Cox disse hoje que os riscos legais do "backstop" do Brexit para o Reino Unido permaneceram inalterados, apesar das garantias da União Europeia. O risco de Reino Unido ficar preso no "backstop" é algo que os deputados mais conservadores que defendem o Brexit não vão apoiar.

    A libra depreciou para um mínimo de $1,3005 depois de ter atingido $1,3289 no início da sessão quando os investidores estavam confiantes que a Theresa May iria garantir um acordo antes da data final do Brexit em menos de três semanas. 
  • Destaques Empresariais
    Fonte: Banco Invest
    EUR120319
    • Correios de Portugal (CTT PL): Segundo El Pais, a Correos, empresa de correios detida a 100% pelo Estado espanhol, está determinada em iniciar o seu processo de internacionalização pelo mercado português e para tal pretende avançar para a compra de um operador local.

    • Pharol (PHR PL): A empresa do investidor brasileiro Nelson Tanure passou a controlar 6,31% do capital da Pharol dos anteriores 4,83%. A High Bridge Unipessoal também reforçou na empresa portuguesa de 6,17% para 9,99%. Por outro lado, a Adar Capital Partners Ltd que detinha 10,285% e passou a controlar apenas 4,800%.

    • Sanofi (SAN FP): O medicamento Dupixent foi aprovado pelo regulador norte-americano para o tratamento de pacientes com dermatite atópica. 

    • Volkswagen (VOW3 GY)/Porsche (PAH3 GY): A rendibilidade operacional das vendas de carros das várias marcas desceu em 2018: Volkswagen (4,2% para 3,8%), Porsche (18,5% para 17%), Audi (8,5% para 7,9%), Skoda (9,7% para 8%). Só a Seat é que subiu de 1,9% para 2,5%. 

    • Deutsche Bank (DBK GY)/Commerzbank (CBK GY): Os reguladores europeus só aprovariam uma eventual fusão entre as duas instituições financeiras alemãs se a implementação fosse credível e viável. A principal preocupação dos reguladores consiste em garantir que uma fusão não deixaria a instituição resultante com um problema ainda maior ao que cada um dos dois bancos atravessa actualmente, de forma individual.

    • Royal Dutch Shell (RDSA NA): A empresa pretende investir $2 mil mn por ano na divisão de geração de energia de fontes "limpas" com o objectivo. A Shell tem como objectivos, para 2030, ser um dos principais produtores mundiais de energia e obter rendibilidades anuais entre 8% e 12% por ano neste sector.

    • Energias de Portugal (EDP PL): A eléctrica apresentou um resultado líquido em 2018 de €519 mn abaixo do esperado pelos analistas de €539,7 mn, devido a um impacto não recorrente negativo em €277 mn em 2018 por causa de uma decisão administrativa com efeitos retroactivos nos CMEC. O EBITDA foi €3,32 mil mn aquém dos €3,38 mil mn. As receitas foram €519 mn abaixo dos €539,7 mn previstos. A EDP propôs um dividendo anual de €0,19 por acção. A EDP realiza o seu update da estratégia de 2019 pelas 09h00.

    • Uniper (UN01 FP): A empresa de energia alemã reportou receitas anuais de €78,2 mil mn acima dos €75,21 mil mn estimados. No entanto, o EBIT ajustado teve uma queda de 22,4% para €865 mn. O dividendo por acção anual foi definido nos €0,90. A empresa espera um EBIT ajustado entre os €550 mn e os €850 mn em 2019.