TENDÊNCIA DE INVESTIMENTO

Hidrogénio

HIDROGÉNIO. O COMBUSTÍVEL DO FUTURO


Depois de ter sido anunciado o Plano de Recuperação Europeu, Next Generation, ficou a saber-se que a Comissão Europeia pretende investir na transição climática com o objectivo de atingir zero emissões em 2050. Para esta transição acontecer, terá de haver uma mudança substancial no sector energético, na medida que este é um grande contribuidor para a poluição, dada a sua dependência atual por combustíveis fósseis.

De modo a tornar esta transição possível são necessários:




Centrais geradoras de energia que sejam renováveis. Já existem bastantes meios de produção de energia alternativa e o debate centra-se no custo da electricidade.




Um novo combustível alternativo ao petróleo que seja renovável e não poluente. Actualmente, dois candidatos dividem o mundo: electricidade e hidrogénio verde.



O primeiro é a própria eletricidade que, para poder ser utilizada convenientemente, necessita de baterias com capacidade para a armazenar. O segundo é o hidrogénio Verde. Mas afinal o que é o hidrogénio verde? Como é que o hidrogénio pode ser utilizado para alimentar carros? Porque é que é verde? Nos meios de comunicação circulam notícias sobre grandes investimentos nesta indústria, contudo, existe muita dúvida e confusão espalhada pelo mundo fora. Nas linhas a seguir iremos procurar explicar melhor esse conceito.

O QUE É O HIDROGÉNIO VERDE?


O hidrogénio verde é o nome que se dá ao hidrogénio obtido pela eletrólise da água. Ou seja, por efeito da passagem de uma corrente elétrica pela água, essa energia permite separar os átomos de oxigénio e de hidrogénio. Por este processo não necessitar de combustíveis fósseis para a sua produção é que se lhe dá o nome de verde. É o método “mais limpo” de obter hidrogénio e aquele que a União Europeia pretende almejar no longo prazo. Por ser necessário utilizar energia para obter hidrogénio ficamos com um conundrum pois, é preciso “gastar” energia no processo de produção de hidrogénio enquanto que essa poderia ser armazenada diretamente numa bateria. A título de exemplo, uma central hidroelétrica produziria eletricidade e essa seria utilizada para a eletrólise da água. O maior problema desta estratégia é que é ainda uma maneira cara de obter hidrogénio.

VANTAGENS DO HIDROGÉNIO


Zero emissões de gases poluentes

Alto poder calorífico

Bastante reactivo, sem ser tóxico

Aplicável para transporte de longa distância (Ex: Aviões)

 

Tempo estimado de abastecimento para carros de 5min

Falta de infraestruturas para a sua produção, armazenamento, transporte, distribuição e consumo, o que representa uma forte oportunidade do ponto de vista comercial

CARROS ALIMENTADOS A BATERIA OU HIDROGÉNIO?

É praticamente uma certeza que o futuro será das energias alternativas no longo prazo. A grande questão que se pode colocar neste momento é, qual será o próximo vetor da energia alternativa. Por exemplo, iremos ter carros alimentados a bateria, como no caso da Tesla, ou a células de hidrogénio como no caso do Hyundai NEXO?



Para tentar responder a esta questão vamos analisar as diferenças entre elas:




A principal diferença será o preço de abastecimento (será menor no caso das baterias dado o seu alto aproveitamento energético), o tempo de carregamento e a possibilidade ou não de ser adotado para transportes de longa distância. No entanto, nos dias de hoje, os tanques de armazenamento de hidrogénio são milhares de vezes mais resistentes.


COMO INVESTIR?


Muitas empresas já se estão a posicionar para tomar a vanguarda enquanto líderes no mercado do hidrogénio. Contudo, cada uma delas têm riscos idiossincráticos associados e mesmo com uma análise detalhada é impossível ter a certeza de quais se tornaram líderes do mercado. Por isso, a melhor maneira de investir no hidrogénio é em Fundos ou ETFs especializados na transição climática dado que, por serem constituídos por muitas empresas, o risco está diversificado.

No Banco Invest poderá ganhar exposição ao hidrogénio de várias formas: Pode investir em fundos de transição climática como, por exemplo, a Schroder Global Climate Change Equity ou BGF Sustainanble Energy Fund. Também o pode fazer por via de ETFs como o Ishares Global Clean Energy Etf ou através das nossas Trends de “Sustentabilidade”, “Mudanças Climáticas” e o “Green Deal”.

REFERÊNCIAS


www.volkswagenag.com | www.metricmind.com | www.hydrogencouncil.com


DISCLAIMER

O seu consentimento pode ser retirado a todo o tempo, através de comunicação escrita para dpo@bancoinvest.pt ou Av. Eng. Duarte Pacheco, Torre 1 - 11.°, 1070-101 Lisboa.
Para mais informações, consulte a Política de Privacidade do Banco Invest, S.A., disponível em www.bancoinvest.pt.

ACESSO INVEST ONLINE
Este site utiliza cookies para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. SABER MAIS Concordo