Invest Blog

Invest Focus

Acompanhe os destaques e principais tendências do dia que influenciam as bolsas em todo o mundo
  • 2019 será o pior ano da Zona Euro desde 2014
    Fonte: Bloomberg
    fmi
    O Fundo Monetário Internacional cortou hoje as suas previsões de crescimento económico para 2019 e 2020 devido à fraqueza na Europa e em alguns mercados emergentes, e afirmou que fracassar em resolver as tensões comerciais pode desestabilizar ainda mais uma economia global em desaceleração. 

    O FMI previu um  crescimento na economia global de 3,5% em 2019 e 3,6% em 2020. Em relação à Zona Euro cortou as suas previsões de crescimento económico em 2019 para 1,6% e 1,7% em 2020. A China deverá desacelerar para uma expansão de 6,2% tanto em 2019 como em 2020.
  • Segue o "ETF Flow"
    Fonte: Citi
    etf

    Os ETFs na Europa estão a crescer exponencialmente, no entanto, o segundo maior mercado de ETFs, ainda é só um quarto do tamanho dos ETFs nos Estados Unidos.

    Os ETFs possuem cerca de 4% do índice STOXX 600, muito superior aos 0,5% em 2005, de acordo com os analistas do Citi.

    Segundo o Citi, as acções com maior participação nos ETFs têm melhor rendibilidade tais com a ING Groep, Bayer, BASF e Vonovia.

    etf
  • Retalhistas portugueses em destaque hoje na Europa
    Fonte: Banco Invest
    EUROPA2101

    Estes são os principais destaques:

    • Scout24 (G24 GY): A empresa alemã de classificados online rejeitou uma oferta de aquisição de €4,7 mil mn das empresas de private equity Hellman & Friedman e Blackstone, potencialmente abrindo caminho para uma guerra de ofertas.

    • Jerónimo Martins (JMT PL): A Kepler Cheuvreux melhorou a sua recomendação para as acções de "hold" para "buy" e aumenta o preço-alvo de €10,80 para €13,20 por acção. O Deutsche Bank também fez um "upgrade" das acções para "buy".

    • Correios de Portugal (CTT PL): António Costa está a ser pressionado por sectores do seu próprio partido a prometer a reversão da privatização do serviço postal dos CTT. 

    • Casino Guichard (CO FP): A retalhista francesa acordou a venda de 26 hipermercados e supermercados no valor de €501 mn ao Grupo de Investimento Fortress.

    • Sonae SGPS (SON PL): A empresa foi alvo de um "upgrade" para "buy" pela JB Capital Markets com um preço-alvo de €1,25 por acção.

    • Banca italiana: O governo italiano está a ponderar fundir os bancos Monte dei Paschi (BMPS IM) e Banca Carige (CRG IM) com o UBI Banca (UBI IM) mas ainda não existe confirmação da notícia.

    • Siemens (SIE GY)/Alstom (ALO FP): Os reguladores da União Europeia irão bloquear a fusão da unidade de caminhos-de-ferro das duas empresas em seguimento da recusa da Siemens de melhorar as concessões relativas à tecnologia de comboios de alta-velocidade. 
       
    • Telecom Italia (TIT IM):  O regulador italiano rejeitou o plano da Telecom Italia de realizar um "spinoff" da sua rede fixa, argumentando que a operação não irá aumentar a concorrência no mercado doméstico ou reduzir os custos regulatórios. 

    • Deutsche Telekom (DTE GY): A Berenberg cortou a sua recomendação das acções para "sell" com preço alvo de €13,20.

    • Henkel (HEN GY): A empresa alemã de produtos químicos anunciou um aumento de investimentos em novas marcas, marketing e digitalização. 
  • Mercados europeus em leve queda com bolsas EUA encerradas hoje
    Fonte: Banco Invest
    210119

    Os mercados europeus abriram em leve queda, num dia de fraca liquidez, tendo em conta que a bolsa norte-americana encontra-se encerrada hoje devido ao feriado "Martin Luther King Jr. Day".

    Os investidores aguardam a apresentação da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, do seu plano "B" para o Brexit. A solução alternativa para a saída do Reino Unido da União Europeia será depois votada no dia 29 de Janeiro.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,26% e as praças chinesas encerraram no verde, apesar dos dados da economia chinesa no quarto trimestre, terem indicado uma expansão de 6,60% em 2018, o que representa o ritmo de crescimento mais lento em 28 anos. 

    As principais bolsas norte-americanas valorizaram devido ao facto de que a China parecer estar disponível para corresponder às pretensões dos EUA e avançar com um plano de reforço das compras de bens norte-americanos para, daqui a seis anos, garantir uma relação comercial equilibrada entre as duas economias. 

    Dados Macroeconómicos:

     00h01: Preços da Casas Rightmove (Jan)

     02h00: Vendas a Retalho (Dez)

     02h00: Produção Industrial (Dez)

     02h00: PIB (4º Tri)

     07h00: Índice Preços Produtor (Dez)

     Balanças Corrente e de Capital (3º Tri)

     13h00: FMI actualiza as suas perspectivas económicas no "World Economic Outlook"

    Eventos:

      Bolsa de Valores de Nova Iorque encerrada devido ao feriado "Martin Luther King Jr. Day"

      Data limite para Theresa May apresentar o seu plano "B" para o Brexit

     Reunião do Eurogrupo sob presidência de Mário Centeno


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Disparidade salarial não passa na concertação social

     Famílias com filhos voltam ao salário anterior a Gaspar

     Crédito à habitação: CGD duplica prazo da taxa para 30 anos

     Automóveis: EDP vai apostar em carregadores para os condomínios

     Socialistas pressionam Costa para nacionalizar CTT

     Economia: Abrandamento mundial é prenúncio de nuvens negras para Portugal

     Foram vendidas 500 casas por dia em 2018

     Reembolsos de IRS encolhem em 2020

     Factura da água será mais cara em tempo de seca

     IRS: Famílias recebem menos em 2020

  • 21 a 25 Janeiro 2019
    Fonte: Banco Invest
    davos

    O evento principal da próxima semana será o Fórum de Davos que começa na Terça-feira até dia 25, embora com a ausência da delegação norte-americana. O Banco Central Europeu e o Banco do Japão realizam as suas reuniões de política monetária mas não se espera alterações.

    As bolsas norte-americanas encontram-se encerradas na Segunda-feira devido ao feriado "Martin Luther King Day".

    Estes são os principais eventos:

    Segunda-feira, 21 de Janeiro 2019

    • Bolsa de Valores de Nova Iorque encerrada devido ao feriado "Martin Luther King Jr. Day"
    • Data limite para Theresa May apresentar o seu plano "B" para o Brexit
    • Reunião do Eurogrupo 
    • FMI actualiza as suas perspectivas económicas

    Terça-feira, 22 de Janeiro 2019

    • Reunião anual do World Economic Forum em Davos até dia 25
    • 09h30: Desemprego Reino Unido
    • Resultados Europa: UBS Group, IG Group
    • Resultados EUA: Haliburton (AA), Johnson & Johnson (11h45), IBM (21h05)

    Quarta-feira, 23 de Janeiro 2019

    • Reunião de política monetária do Banco do Japão
    • 15h00: Confiança Consumidor Zona Euro
    • Resultados Europa: ASML Holding (06h00)
    • Resultados EUA: Procter & Gamble (AA), Comcast (AA), Texas Instruments (21h01), Ford Motor (21h15)

    Quinta-feira, 24 de Janeiro 2019

    • Reunião de política monetária do Banco Central Europeu
    • Índices PMI Zona Euro e EUA
    • Resultados Europa: STMicroelectronics (AA), Bankinter
    • Resultados EUA: American Airlines (AA), Starbucks (DF), Intel (DF)

    Sexta-feira, 25 de Janeiro 2019

    • 09h00: Índice Confiança IFO Alemanha
    • 13h30: Encomendas de Bens Duradouros EUA
    • 15h00: Vendas de Casas Novas EUA
    • Resultados EUA: AbbVie (AA), Colgate-Palmolive (11h55)
  • Wall Street em máximos com promessas da China
    Fonte: Bloomberg
    rally

    De acordo com a Bloomberg, a China pretende reduzir o seu excedente comercial com os Estados Unidos, que alcançou um novo recorde em 2018, a $323,3 milhões, para zero até 2024.

    O país irá aumentar as suas importações dos Estados Unidos em mais de $1 bilião ao longo de seis anos.

    O índice S&P 500 negoceia acima de sua média móvel de 50 dias pela primeira vez desde 3 de Dezembro, caminhando para a sua quarta semana seguida de ganhos, a maior sequência desde o final de Julho. O índice negoceia agora apenas a 10% do seu recorde de 20 de Setembro, depois de ter recuperado de um mínimo de 20 meses na véspera de Natal.
  • Netflix tem um rival imprevisto
    Fonte: Netflix
    maxresdefault

    A Netflix é, neste momento, um dos maiores pesos no sector do entretenimento. Assim sendo, seria de esperar que a sua maior concorrência fossem outros canais de televisão ou plataformas de streaming: mas tal não é o caso.

    No relatório de contas, a Netflix identifica os seus principais rivais. Para a plataforma de streaming o YouTube e o jogo online Fortnite (sim) são os maiores concorrentes do serviço que oferece.

    “Competimos (e perdemos) com ‘Fortnite’ mais do que com a HBO", nota a Netflix

    A Netflix revelou no seu último relatório aos investidores que alcançou a marca de 139 milhões de subscritores enquanto a Fortnite já tem 200 milhões de utilizadores registados.

    netflix
  • Em máximos de seis semanas
    Fonte: Banco Invest
    EUROPA

    Estes são os principais destaques:

    • Euskatel (EKT SM)/Orange (ORA FP): A francesa Orange poderá estar interessada em adquirir a espanhola Euskatel.

    • Casino Guichard (CO FP): A retalhista francesa apresentou vendas líquidas anuais de $9,93 mil mn acima dos $9,68 mil mn previstos pelos analistas. O director financeiro da Casino indicou que a retalhista está "no caminho certo" para atingir o objectivo de crescimento anual do EBIT em 2018 de 10% apesar do impacto negativo do movimento Coletes Amarelos no mercado doméstico.

    • Renault (RNO FP): Uma investigação interna da Nissan e Mitsubishi, revelou pagamentos feitos da aliança das três empresas a Ghosn, no valor de €7,8 mn, que não foram discutidos com os CEOs da Nissan e da Mitsubishi.

    • Telecom Italia (TIT IM): A empresa de telecomunicações italiana alertou que espera divulgar lucros anuais de cerca de €8,1 mil mn, uma queda de 5% em comparação ao ano anterior. 

    • Ryanair (RYA LN): A companhia aérea reduziu as suas estimativas de lucro anual de €1,1 mil mn a €1,2 mil mn para €1 mil mn a €1,1 mil mn e referiu que o cenário estará condicionado pelos desenvolvimentos da questão do Brexit. As suas rivais também estão em queda.
  • Mercados europeus no verde com optimismo acordo EUA-China
    Fonte: Banco Invest
    180119

    Os mercados europeus abriram no verde, mesmo depois de ter sido desmentido uma notícia do The Wall Street Journal, em que o secretário norte-americano do Tesouro, Steven Mnuchin, é um dos membros da Administração Trump a fazer pressão para a redução das tarifas aduaneiras impostas à China pelos Estados Unidos.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 1,29% e as praças chinesas também encerraram em alta com os investidores optimistas com as negociações comerciais sino-americanas.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram em alta animadas pelos sectores das "utilities" e saúde. Por outro lado, o sector financeiro foi penalizado pelas acções da Morgan Stanley (-4,41% ) com resultados aquém do esperado pelos analistas. A Netflix apresentou lucros por acção de $0,30 vs. $0,24 esperados. No entanto as receitas foram $4,19 mil mn aquém dos $4,21 mil mn estimados. O número de subscrições pagas aumentou em 8,9 milhões superando as estimativas de 8,5 milhões.

    Dados Macroeconómicos:

     04h30: Produção Industrial (Nov)

     09h00: Conta Corrente (Nov)

     09h30: Vendas a Retalho (Dez)

     11h00: Índices de Preços na Produção Industrial (Dez)

     11h00: Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação (Dez)

     11h00: Síntese Económica de Conjuntura (Dez)

     14h15: Produção Industrial (Nov)

     14h15: Utilização de Capacidade Instalada (Dez)

     15h00: Confiança dos Consumidores medida pela Universidade de Michigan (Jan)


    Eventos:

     Discursos de vários membros da Fed: Williams (14h05) e Harker (16h00)


    Resultados:

     Schlumberger (12h00)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Governo vai medir risco de corrupção em novas leis

     Mercadona vai abrir ao domingo em Portugal

     41 câmaras municipais já recusaram a descentralização

     Impostos representam quase metade do valor de uma casa

     PSD: Rio recebe o inesperado apoio de Luís Filipe Menezes

     Conselho Nacional do PSD: Rui Rio sai reforçado e pede "paz no partido" para "ganhar"

     Costa reuniu-se com Barnier, o negociador da UE, e avisou empresários de que o Brexit "vai doer"

     Estado falha nos apoios aos cuidados continuados

     O setor das telecomunicações é onde o futuro chega primeiro

     Stephen Morais: Os grandes investidores "não querem saber do Web Summit"

     Há uma centena de estrangeiros interessados em investir no património português

  • Produção petróleo teve maior queda em quase 2 anos no mês passado
    Fonte: Bloomberg
    opep

    A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) disse hoje que reduziu sua produção significativamente em Dezembro, antes mesmo de entrar em vigor um plano para restringir sua oferta ao longo do primeiro semestre do ano.

    Em relatório mensal, a OPEP informou que a produção dos seus membros caiu 751 mil barris por dia (bpd) no mês passado, para uma média de 31,58 milhões de bpd. A queda se deveu principalmente ao resultado da Arábia Saudita cuja oferta diminuiu 468 mil bpd em Dezembro, a 10,55 milhões de bpd. Houve cortes também na produção de Líbia, Irão e Emirados Árabes Unidos.

    A próxima reunião da OPEP será entre 17 e 18 de Abril em Viena.
  • "Sell into this stock rally" - Credit Suisse
    Fonte: Credit Suisse
    bull

    Segundo o Credit Suisse, os investidores deverão vender este "rally" porque existem alguns riscos pela frente. Estas são as razões para permanecerem cautelosos:

    • Excesso de liquidez (a taxa de crescimento da oferta monetária M1 menos o crescimento nominal do PIB) está agora no nível mais baixo desde 2010.

    • As revisões dos lucros globais são agora negativas, indicando uma queda dos mercados accionistas.

    • O crescimento dos salários nos EUA subiu para um nível que implica redução das margens.

    • As empresas cíclicas dos EUA ainda não parecem "baratas" (ao contrário da Europa)

    • Spreads das obrigações com grau de investimento estão em "níveis perigosos"

    •  A alavancagem empresarial dos EUA está de volta ao seu pico anterior

    Os factores mais importantes para olhar agora são a China, índices PMI na Europa, a Reserva Federal EUA mais "dovish" e o crescimento salarial nos EUA, de acordo com o Credit Suisse.
  • Plano B será votado no dia 29 de Janeiro
    Fonte: Bloomberg
    brexit

    O executivo de May terá até dia 21 de Janeiro para apresentar um plano B que será votado no dia 29 de Janeiro.

    Michel Barnier, negociador-chefe da UE para o Brexit, considerou que há margem para ensaiar um novo acordo, mas só no caso de Londres alterar o que designou de "linhas vermelhas": saída da união aduaneira, saída do mercado único e o fim da livre circulação de pessoas e bens.

    No entanto, teria de manter-se um mecanismo de salvaguarda de uma fronteira física entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda e a vontade política deveria partir do Governo britânico.
  • Reinado da TV a chegar ao fim? Netflix dá a resposta hoje
    Fonte: Statista
    media

    Durante décadas, a televisão foi indiscutivelmente o número 1, em termos de uso diário de media. No entanto, como o consumo de internet aumentou consideravelmente na última década, parece que o reinado da TV pode estar a chegar ao fim em breve. 

    Streaming tem vindo a ganhar cada vez mais peso e a Netflix é dos serviços mais conhecidos. Hoje a empresa divulga os seus resultados do 4º trimestre de 2018, dois dias após anunciar um aumento no preço dos seus serviços nos EUA. Os analistas esperam lucros por acção de $0,24 e receitas de $4,2 mil mn referentes ao último trimestre, pouco acima dos $4 mil mn no terceiro trimestre. A previsão é que a empresa anuncie 9 milhões de novos assinantes comparados com 7 milhões no trimestre anterior, chegando a mais de 145 milhões de assinantes no mundo inteiro.
  • Fusão entre Deutsche Bank e Commerzbank: será que é desta?
    Fonte: Barkow
    german

    Entre Maio e Dezembro de 2018, os responsáveis do governo alemão tiveram 23 reuniões com o "chairman", presidente executivo e outros gestores de topo do Deutsche Bank.

    De acordo com o Financial Times, Olaf Scholz, ministro das Finanças e vice-chanceler da Alemanha, estará "definitivamente a considerar" como opção uma fusão entre os dois bancos alemães.

    Com um total de dois triliões de dólares em activos, uma fusão entre o Deutsche Bank e o Commerzbank criaria o terceiro maior banco europeu, atrás do HSBC e do BNP Paribas.
  • Mercados europeus abriram em queda aguardando relatório mensal da OPEP
    Fonte: Banco Invest
    170119

    Os mercados europeus abriram em queda, aguardando a divulgação do relatório mensal sobre a evolução do mercado petrolífero. O petróleo tem beneficiado da expectativa de que a OPEP tenha capacidade para cumprir a promessa de eliminar o excesso de petróleo no mercado através dos cortes na produção. 

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 0,20% e as praças chinesas negociavam no vermelho com receios de arrefecimento da economia chinesa. O banco central da China injectou $83 mil mn ontem, a maior operação de liquidez num dia da história.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram em alta em máximos de um mês com os resultados da Goldman Sachs e Bank of America acima do esperado pelos analistas. O sector tecnológico também valorizou com as acções da Apple a dispararem para o valor mais alto desde o início do ano. Hoje a Netflix apresenta os seus resultados após o fecho do mercado norte-americano.
     
    Dados Macroeconómicos:

     09h00: Balança Comercial (Nov)

     10h00: Índice de Preços no Consumidor. (Dez) 

     13h30: Indicador Sentimento Empresarial de Philadelphia (Jan)

     13h30: Pedidos Subsídio Desemprego

     23h30: Índice de Preços ao Consumo (Dez)


    Eventos:

     00h00: Discurso de Kuroda, presidente do Banco do Japão

     08h30: Discurso de Michel Barnier, negociador-chefe da Comissão Europeia para o Brexit na Reunião do Conselho de Estado português

     11h00: Discurso de Lautenschlaeger, membro do BCE

     15h45: Discurso de Quarles, membro da Fed

     OPEP divulga o relatório mensal sobre a evolução do mercado petrolífero


    Resultados:

     Morgan Stanley (12h00), Netflix (21h00), American Express (21h05)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Sociedades de investimento vão entrar na promoção imobiliária

     Robôs podem obrigar 1,8 milhões de portugueses a mudar de emprego

     Sience4You falha entrada em bolsa, mas despede-se com um "até já"

     BEI afasta-se da guerra entre Brisa e credores

     Robôs ameaçam 1,1 milhões de empregos em Portugal

     "Brexit": Até quando irá Theresa May sobreviver?

     PSD: Conselho nacional já depôs dois líderes: Pinto Balsemão e Mota Pinto

     Tecnologia: 1,8 milhões de trabalhadores terão de mudar de emprego

     Brexit. May resite. Corbyn derrotado. Para já.

     Crise no PSD: Rio em vantagem sem voto secreto

     Brexit: Mar sobrevive e tem três dias para apresentar plano B

     Cristina Casalinho confirmada à frente do IGCP

     Revolut, a rival digital dos bancos vai aceitar depósitos em Portugal

  • Lucros superam $100 mil mn pela primeira vez
    Fonte: Bloomberg
    banks
    Os seis maiores bancos norte-americanos lucraram $111 mil mn em 2018 pela primeira vez.

    JPMorgan Chase & Co e o Bank of America tiveram anos recorde enquanto o Goldman Sachs e o Citigroup apresentaram os maiores lucros desde a crise financeira.
  • Resultados da banca animam Wall Street
    Fonte: Banco Invest
     
     BANKS

    Hoje foi a vez do Bank of America e Goldman Sachs apresentarem os seus resultados do último trimestre de 2018, que superaram as expectativas dos analistas.

    • Bank of America: Resultados acima do esperado, dando indicações de solidez da economia americana e do comportamento dos consumidores.

    - EPS: $0,70 vs. $0,63 Est.
    - Receitas: $22,7 mil mn vs. $22,35 mil mn Est.

    • Goldman Sachs: O "trading" da unidade de negociação de acções aumentou 2%, o único a crescer no quarto trimestre de 2018 entre as instituições de Wall Street.

    - EPS: $6,04 vs. $4,45 Est.
    - Receitas: $8,08 mil mn vs. $7,54 mil mn Est.
  • Riscos Globais em 2019
    Fonte: WEF
    risks

    De acordo com o relatório do "World Economic Forum" (WEF), que reúne os resultados anuais do Inquérito Global de Percepção de Risco de aproximadamente 1.000 especialistas e decisores, 88% dos inquiridos prevê um deteriorar das regras e acordos comerciais multilaterais.

    Para 85% dos inquiridos pelo WEF, é ainda esperado um aumento dos riscos de "confrontos políticos entre as grandes potências" durante 2019.

    Riscos ambientais continuam a dominar o relatório. Este ano, os riscos ambientais foram responsáveis por três dos principais cinco riscos por probabilidade e quatro por impacto.

    WEF
  • Mercados europeus positivos aguardando moção de censura a Theresa May
    Fonte: Banco Invest
    160119

    Os mercados europeus abriram positivos com Theresa May a enfrentar hoje, ao final da tarde, uma moção de censura apresentada pelo Partido Trabalhista, depois de ontem, ter visto ser chumbado no parlamento britânico o acordo entre o Reino Unido e UE para o Brexit. Se a moção for aprovada então o Parlamento terá 14 dias para propor uma nova solução de governo, que poderá passar pela realização de novas eleições que poderão originar um novo referendo ou a extensão do prazo do artigo 50.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 0,55% e as praças chinesas encerraram em leve alta animadas pelas medidas anunciadas ontem, pelas autoridades chinesas, para estabilizar a desaceleração da economia chinesa.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram no verde impulsionadas pelo sector tecnológico, com as acções da Netflix a dispararem 6,52% depois de anunciar que vai subir os seus preços nos Estados Unidos. As acções da Alphabet valorizaram 3,33 e as da Apple subiram 2,05%.

    Dados Macroeconómicos:

     07h00: Índice de Preços ao Consumo (Dez)

     09h30: Índice de Preços ao Consumo (Dez)

     10h00: Índice de Preços ao Consumo (Dez)

     13h30: Índice de Preços das Importações (Dez)

     15h00: Índice Mercado Imobiliário NAHB (Jan)

     15h30: Reservas Semanais de Energia

     19h00: "Beige Book" da Fed


    Eventos:

     08h40: Discurso de Nowotny, membro do BCE

     10h30: IGCP realiza leilão de bilhetes do Tesouro a curto prazo

     23h30: Discurso de Kashkari, membro da Fed


    Resultados:

     BlackRock (AA), Bank of New York Mellon (11h30), PNC Financial Services Group (11h45), Bank of America (11h45), Goldman Sachs Group (12h30)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     PSI-20 tem melhor arranque de ano desde 2014

     Chumbo deixa Brexit à deriva

     Indemnizações por atrasos complicam contas da TAP

     Taxa turística paga expansão da FIL prometida à Web Summit

     Produção automóvel bate recorde de 1998 à boleia do T-Roc

     Economias da China e Alemanha abrandam

     228 empresas portuguesas dependem de exportações para o Reino Unido

     May e Brexit: Incerteza é a única certeza

     Maioria chumba acordo mas segura May

     Apreensões de medicamentos ilegais batem recordes

     Brexit chumbado. E agora? Portugal em alerta

     Brexit: Hotéis estudam pacotes para travar fuga de turistas britânicos

  • Receios em relação à alavancagem empresarial em máximos de 10 anos
    Fonte: BofAML
    ml3
    Os receios em relação à alavancagem empresarial excessiva estão em máximos de 10 anos, segundo um inquérito a gestores de fundos globais pela Bank of America Merrill Lynch em Janeiro. 48% dos inquiridos acha que os balanços das empresas têm alavancagem excessiva.

    A guerra comercial constitui o principal risco pelo oitavo mês consecutivo, no entanto, reduziu consideravelmente em Janeiro.

    ml2
    "Long USD" continua a ser a estratégia mais popular entre os gestores de fundos globais à frente das tecnológicas pelo segundo mês consecutivo.

    longusd
    52% dos inquiridos prevêem que os lucros globais se deteriorarão no próximo ano.

    As expectativas de crescimento do PIB continuam em queda com 60% dos inquiridos a preverem que o crescimento global vai enfraquecer nos próximos 12 meses. No entanto, só 14% dos gestores esperam uma recessão económica global em 2019.
  • Crescimento PIB em 2018 é o mais fraco em 5 anos
    Fonte: Bloomberg
    gdp

    A economia alemã cresceu 1,5% em 2018, a taxa mais fraca em cinco anos e uma clara desaceleração em relação ao ano anterior. 

    Os economistas esperavam um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,5% no ano passado, após uma subida de 2,2% em 2016 e 2017.

ACESSO INVEST ONLINE

DOCUMENTO PARA VALIDAÇÃO

POSIÇÕES DO NÚMERO DO DOCUMENTO

 
 
Este site utiliza cookies para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. SABER MAIS Concordo