Invest Blog

Invest Focus

Acompanhe os destaques e principais tendências do dia que influênciam as bolsas em todo o mundo

  • 26-09-2017
    Sector Petrolífero Europeu
    Citi recomenda sector com "overweight"
    Fonte: Thomson Reuters
    oil

    O sector petrolífero sobe hoje com os preços do petróleo em máximos de 26 meses, aumentando o optimismo dos investidores num dos sectores com pior desempenho da Europa nos últimos anos.

    O Brent valorizou‐se quase 25% nos últimos 3 meses enquanto o sector petrolífero europeu registou somente uma subida de 5%. O petróleo foi impulsionado essencialmente pela depreciação do dólar, a passagem dos furacões pelo Golfo do México e do Texas e também, pela limitação da oferta devido à política de produção da OPEP.

    O sector petrolífero europeu teve uma menor rendibilidade devido a maiores investimentos que traduziram num maior endividamento e peso da divida.  

    Ontem os analistas do Citi melhoraram a sua recomendação para o sector petrolífera para "overweight".
  • 26-09-2017
    Estados Unidos de América
    Trump fornece mais detalhes sobre o plano de reforma fiscal amanhã
    Fonte: Business Insider
    taxplan

    O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai apresentar amanhã mais informações sobre o seu plano de reforma fiscal, sendo esperado que inclua um significativo corte nos impostos para as empresas.

    A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, anunciou hoje em conferência de imprensa que Donald Trump vai viajar para Indianápolis na quarta-feira e que fará um discurso sobre os "cortes históricos nos impostos e as reformas que tem discutido com membros do Congresso".
     
    A Casa Branca não forneceu, até agora, detalhes sobre o plano de reforma fiscal de Donald Trump, além da vontade do Presidente em reduzir a taxa de imposto que as empresas pagam nos Estados Unidos, que actualmente é de 35%, para 15%.
  • 26-09-2017
    Obrigações
    JPMorgan recomenda redução posições dívida de Espanha e apostar na de Portugal
    Fonte: El Mundo
    espanha
    "A equipa do JPMorgan recomenda reduzir posições na dívida a 10 anos de Espanha e apostar na de Portugal e Alemanha", revela uma nota de JPMorgan, citada pelo El Mundo.
     
    Em causa está o referendo da Catalunha. "A crise constitucional que Espanha sofre, como consequência do separatismo da Catalunha está a ser analisado com uma certa complacência por parte dos investidores, que deviam estar" a reduzir a sua exposição à dívida espanhola.
     
    O referendo sobre a independência da Catalunha vai realizar-se este Domingo, 1 de Outubro, e o desfecho é incerto mas está a gerar receios entre os economistas. O JPMorgan realça que "a Catalunha representa uma quinta parte do total da economia de Espanha", o que é expressivo do impacto de uma vitória da independência.
  • 26-09-2017
    Zona Euro
    Euro face ao dólar em mínimo de um mês
    Fonte: Thomson Reuters
    eurusd

    O euro desce hoje face ao dólar e, já atingiu um mínimo de $1,1810, com a incerteza política sobre o desenho do novo governo de Angela Merkel e o impacto num acordo com Emmanuel Macron sobre o futuro da União Europeia.

    Os resultados das eleições da Alemanha confirmam a tendência vigente na política europeia no ano passado: a derrocada dos partidos instalados do continente face à ansiedade dos eleitores sobre a economia e a identidade.
  • 26-09-2017
    Abertura de Mercados
    Mercados em queda com novos receios em relação à Coreia do Norte
    Fonte: Banco Invest
    260917

    Os mercados europeus estão previstos abrirem em queda com novos receios por parte dos investidores depois do ministro norte-coreano dos Negócios Estrangeiros, Ri Yong-Ho, ter acusado o presidente norte-americano Donald Trump de ter declarado guerra ao país e avisou que Pyongyang se reserva o direito de tomar contramedidas, incluindo abater os bombardeiros dos Estados Unidos, mesmo que não estejam no espaço aéreo da Coreia do Norte. 

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 0,33% e as praças chinesas negociavam no vermelho. O iene estabilizou com o aumento de tensões na Península Coreana, e com os investidores a esperarem novos sinais acerca das perspectivas de política monetária norte-americana.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram com perdas arrastadas pela queda das acções tecnológicas. As acções da Apple caíram 0,88% e contagiaram todo o sector de tecnologia. O Nasdaq 100 registou a descida mais acentuada das últimas cinco semanas, ao desvalorizar 1,10% com as FANG (Facebook, Amazon, Netflix e Google) a serem as que mais caem entre as empresas de elevada capitalização bolsista. 
     

    Dados Macroeconómicos:

     07h00: Índice de Preços de Importação (Agosto)

     07h45: Índice de Confiança dos Consumidores (Setembro)

     14h00: Índice Preços Casas S&P/CaseShiller (Julho)

     15h00: Vendas de Casas Novas (Agosto)

     15h00: Índice de Confiança dos Consumidores (Setembro)

     15h00: Richmond Fex Index (Setembro)


    Eventos:

     00h50: Minutas da reunião do Banco do Japão em 19 e 20 de Julho

     Discursos de vários membros do BCE: Rimsevics (08h00) e Praet (13h00)

     Discursos de vários membros da FED: Mester (14h30), Brainard (15h30), Bostic (17h30) e Yellen (17h45)

     Reunião entre a primeira-ministra britânica, Theresa May, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, para discutir o processo do Brexit

     Resultados da Nike depois do fecho do mercado


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Centeno e Carlos reabrem guerra

     As estrelas da bolsa que sobem até 750%

     Eleições alemãs travam debate sobre dívida

     Dívida: Oferta do Novo Banco tem de gerar folga superior a 500 milhões

     Os cinco trabalhos de João Lourenço. Presidente de Angola toma posse hoje. Empresas nacionais confiantes no ciclo político

     Precários a tempo parcial também podem entrar na função pública

     No BE, Catarina Martins assume: "Podemos ser a surpresa"

     Choque frontal: Centeno exige recuo a Carlos Costa mas fica sem resposta

     IMT cresceu 24% até Agosto com boom nas vendas e no valor das casas

     Alemanha: Olha com desconfiança para uma coligação CDU, FDP e Verdes

     Impostos: Antiga sisa dispara 24% à boleia da venda de casas

  • 25-09-2017
    Eleições alemãs
    Merkel diz aberta a negociar coligação com FDP e Verdes, mas também com SPD
    Fonte: BBC
    MERKEL A chanceler alemã, Angela Merkel, disse hoje que sua aliança conservadora irá sondar possibilidades de coligação com os Democratas Livres (FDP) e com os Verdes, assim como com o até agora relutante partido de centro-esquerda Social-Democrata.

    Merkel acrescentou que as políticas orçamentais sustentáveis e a segurança interna serão prioridades para os conservadores nas iminentes negociações de coligação.

    O partido liberal alemão Democratas Livres (FDP) abriu caminho a duras negociações de coligação com os conservadores da chanceler Angela Merkel e com os Verdes, mas disse que não aceitará um acordo sem garantias de mudança na direcção do Governo alemão.
  • 25-09-2017
    Reino Unido
    Maior reversão de sempre nas apostas curtas em libras
    Fonte: Bloomberg
    LIBRA

    A posição curta dos "hedge funds" em libras está agora em mínimos de dois anos devido à crescente expectativa que o Banco de Inglaterra irá aumentar as taxas de juros nos próximos meses. As posições curtas foram reduzidas em 35.924 só na última semana.

    Na Sexta-feira, a agência de notação de risco Moody's também cortou o "rating" de longo prazo do Reino Unido para Aa2, contra Aa1 antes, citando o enfraquecimento da perspectiva para as finanças públicas.
  • 25-09-2017
    Empresas alemãs
    Índice de confiança Ifo aquém do esperado
    Fonte: Banco Invest
    ifo


    O índice de confiança das empresas alemãs deteriorou-se inesperadamente em Setembro, mostrou uma sondagem do instituto económico Ifo hoje, sugerindo que o aumento do consumo na maior economia da Europa pode perder força nos próximos meses.

    O índice de confiança das empresas, baseado numa sondagem mensal a 7.000 empresas, caiu para 115,2 de 115,9 em Agosto.   
  • 25-09-2017
    Pharol/Oi
    Oi assina acordo com China Telecom para participação em aumento capital
    Fonte: Banco Invest
    PHR

    O director financeiro da Oi, Ricardo Malavazi, afirmou que a empresa em recuperação judicial assinou um acordo de confidencialidade com a China Telecom que pode resultar em uma participação do grupo asiático em um eventual aumento de capital da operadora brasileira.

    Em Julho, o Conselho de Administração da Oi aprovou as bases para um aumento de capital de 8 bilhões de reais, mas não há ainda acordo entre credores e accionistas sobre as participações de cada um na empresa após a reestruturação.

    A empresa tem agora até dia 27 para finalizar ajustes no plano de recuperação antes da apresentação em Assembleia de Credores, em 9 de Outubro.

    A Pharol controla 22,24% do capital da Oi.
  • 25-09-2017
    Alemanha
    Merkel vence quarto mandato e extrema-direita entra no parlamento alemão
    Fonte: Público
    merkel

    A chanceler Angela Merkel ganhou um quarto mandato numa eleição que também levará um partido de extrema-direita ao parlamento da Alemanha pela primeira vez em mais de meio século.

    O bloco conservador de Merkel ganhou 32,9% dos votos, tornando-o o maior grupo parlamentar, indicou uma sondagem de intenção de voto. No entanto, tal significa que caiu de 41,5% nas últimas eleições, em 2013.

    O apoio aos seus rivais mais próximos, os social-democratas de centro-esquerda (SPD), que actualmente são uma coligação com Merkel, caiu para 20,6%. A alternativa de extrema-direita para a Alemanha (AfD) surpreendeu terminando em terceiro e entrando no parlamento pela primeira vez com 13% dos votos.
  • 25-09-2017
    Abertura de Mercados
    Mercados no vermelho depois de vitória fragilizada de Merkel
    Fonte: Banco Invest
    250917
    Os mercados europeus estão previstos abrirem no vermelho depois da vitória fragilizada da Merkel devido à subida do partido de extrema-direita. Angela Merkel tem agendada uma conferência de imprensa para hoje às 12h30 para comentar os resultados das eleições.  Hoje o destaque vai para os vários discursos de membros da Fed e Banco Central Europeu ao longo do dia com o foco no discurso de Mario Draghi, presidente do BCE, no Parlamento Europeu, pelas 14h00.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,50% enquanto as praças chinesas negociavam em queda.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram na linha de água com os investidores a acreditarem que a Reserva Federal vai subir os juros de referência na sua reunião do próximo dia 13 de Dezembro. Por outro lado, as tensões entre a Coreia do Norte e EUA suscitaram mais receios junto dos investidores, que estão a optar por se distanciar mais das acções e apostar nos chamados valores-refúgio, como o ouro e o iene.

    Dados Macroeconómicos:

     01h30: Índice Gestores Compras Nikkei do Sector industrial (Setembro)

     06h00: Leading Index (Julho)

     06h00: Coincident Index (Julho)

     08h00: Índice de Preços no Produtor (Agosto)

     09h00: Clima Negócios/Condições Actuais/Expectativas IFO (Setembro)

     13h30: Índice Actividade Fed Chicago (Agosto)

     15h30: Índice Actividade Fed Dallas (Setembro)


    Eventos

     06h30: Discurso de Kuroda do Banco do Japão

     12h30: Discurso de Angel Merkel para comentar os resultados das eleições

     Discursos de vários membros do BCE: Constâncio (08h00), Mersch (10h15), Draghi (14h00), Coeure (15h45)

     Discursos de vários membros da FED: Dudley (13h30) e Evans (17h40)


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Bancos exigem prioridade nos activos do NB

     Merkel vence mas perde margem de manobra. Extrema-direita é a terceira força política.

     "Madonna é um cartão-de-visita que tenho usado na promoção do país" - Ana Mendes Godinho

     Como ganhar com a saída do "lixo"

     Instituto da Água arrasou entrega de barragens à EDP sem concurso

     Vitória curta de Merkel deixa Alemanha na incerteza

     António Costa defensivo e Jerónimo ao ataque na batalha PS-PCP

     Campanha eleitoral tira professores das salas de aula

     Marcelo vai reunir-se com altas figuras da Justiça em Angola

     Merkel vence e extrema-direita entra no Parlamento

     Jogo online: Gastamos 108 milhões e o Fisco fica com 47

  • 22-09-2017
    Agenda Semanal
    25 a 29 Setembro 2017
    german

    No Domingo irão decorrer as eleições legislativas na Alemanha. As sondagens apontam para uma vitória à União Democrata-Cristã (CDU) de Angela Merkel, embora aquém da maioria parlamentar, o que permite prever longas negociações para uma coligação. Tem surgido divergências com o actual partido de coligação SPD e os potenciais candidatos à coligação são agora o Partido Liberal ou os Verdes porque a Merkel excluiu quaisquer conversações com o partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) ou com Die Linke (A Esquerda, esquerda anticapitalista).

    Estes são os principais eventos esta semana:

    Sábado, 23 de Setembro 2017

    • Eleições gerais na Nova Zelândia

    Domingo, 24 de Setembro 2017

    • Eleições gerais na Alemanha
    • Eleições no Senado em França. Votam apenas os deputados e representantes regionais

    Segunda-feira, 25 de Setembro 2017

    • 06h30: Discurso de Kuroda do Banco do Japão
    • Discursos de vários membros do BCE: Constâncio (08h00), Mersch (10h15), Draghi (14h00), Coeure (15h45)
    • Discursos de vários membros da FED: Dudley (13h30) e Evans (17h40)

    Terça-feira, 26 de Setembro 2017

    • 00h50: Minutas da reunião do Banco do Japão em 19 e 20 de Julho
    • Discursos de vários membros do BCE: Rimsevics (08h00) e Praet (13h00) 
    • 10h00: Discurso de Liikanen do Banco da Finlândia
    • Discursos de vários membros da FED: Mester (14h30), Brainard (15h30), Bostic (17h30) e Yellen (17h45)
    • Resultados da Nike depois do fecho do mercado

    Quarta-feira, 27 de Setembro 2017

    • Reunião G7 dos Ministros da Indústria em Itália
    • 07h10: Discurso de Rimsevics, membro do BCE
    • 13h30: Encomendas de Bens Duradouros EUA
    • 15h30: Reservas de Energia EUA
    • Discursos de vários membros da FED: Bullard (18h30) e Brainard (19h00)

    Quinta-feira, 28 de Setembro 2017

    • 07h00: Resultados Hennes & Mauritz
    • 09h15: Discurso de Carney do Banco de Inglaterra
    • Discursos de vários membros do BCE: Praet (09h00) e Lautenschläeger (12h10)
    • Discursos de vários membros da FED: Rosengren (00h00), George (14h45) e Fischer (15h00)  
    • Inflação Alemanha (13h00) e Espanha (08h00)
    • 13h30: PIB EUA

    Sexta-feira, 29 de Setembro 2017

    • Inflação Zona Euro, França e Itália
    • Discursos de vários membros do Banco de Inglaterra: Broadbent (13h30) e Carney (15h15)
    • 15h15: Discurso de Draghi, presidente do BCE
    • 16h00: Discurso de Harker, membro da FED
    • Espanha: Dívida soberana avaliada pela agência de rating S&P
    • França: Dívida soberana avaliada pela agência de rating DBRS
  • 20-09-2017
    Estados Unidos de América
    Fed dividida entre inflação fraca e crescimento económico EUA
    Fonte: CME
    prob

    A reunião de política monetária da Reserva Federal será o principal evento hoje. A economia norte-americana continua a funcionar em pleno emprego com um mercado laboral dinâmico mas a inflação mantém-se aquém do desejado. 

    Esta divergência está a causar uma divisão no seio do comité executivo. A FED tem um balanço de 4,5 biliões de dólares que tenciona reduzir sem causar grandes efeitos na economia e no sistema financeiro. Hoje aguarda-se que o Banco Central anuncie como irá reduzir o montante dos activos que tem em carteira. Numa primeira fase deverá passar pela redução do reinvestimento de juros e de reembolsos na compra de mais activos.  

    Em relação à taxa de juro, a opinião é menos consensual devido ao comportamento da inflação. Alguns membros argumentam que o crescimento económico poderá ser minado se esta instituição se antecipar a uma subida da inflação, incrementando prematuramente as taxas directoras. 

    Actualmente, os futuros descontam uma probabilidade de 58,3% de que a taxa directora aumente na reunião do dia 13 de Dezembro comparado com uma probabilidade de 38,7% há um mês.
     
  • 20-09-2017
    Índice S&P 500
    Segundo maior "bull market" desde a Segunda Guerra Mundial
    Fonte: LPL Research
    bull 
    O índice S&P 500 tornou-se oficialmente o segundo "bull market" mais forte desde a Segunda Guerra Mundial. O actual "bull market" está agora com um ganho de 269,6%, superando o ganho de 267,1% entre Junho 1949 e Agosto 2005. 

    A duração da actual expansão económica dura oito anos, ocupando o terceiro lugar desde a Segunda Guerra Mundial. Embora a expansão que começou em 1961 permaneça em segundo lugar, o período viu dois "bear markets": um declínio de cerca de 30% desde o final de 1961 até Junho de 1962, conhecido como o "Kennedy Slide" e a queda de quase 22% em 1966 atribuída à Reserva Federal.

     
  • 20-09-2017
    Europa
    Destaques Empresariais
    Fonte: Banco Invest
    eur2009

    • Thyssenkrupp (TKA GY): A empresa alemã chegou a um acordo com a indiana Tata Steel para a fusão das operações europeias de ambas as empresas, criando assim o segundo maior produtor de aço na Europa.

    • Siemens Gamesa (SGRE SM): o grupo ganhou uma encomenda na Argentina para instalar 28 turbinas G132-3.465MW.

    • HeidelbergCement (HEI GY): A empresa alemã considera adquirir, através das suas operações em Itália, todos os activos da Cementir Italia SpA, num negócio avaliado em €315 mn. 

    • Liberbank (LBK SM): Segundo o Expansión, CaixaBank e Sabadell estão entre os potenciais interessados no Liberbank e na Unicaja.

    • NOS (NOS PL): Benfica e Nos já chegaram a acordo para a renegociação do seu contrato relativo aos direitos televisivos.

    • GlaxoSmithKline (GSK LN): A empresa de biotecnologia norte-americana Innoviva, na qual a farmacêutica britânica tem uma participação, anunciou que os resultados dos estudos realizados à eficácia de novos medicamentos tinham sido positivos.

    • Airbus (AIR FP): A transportadora aérea francesa procura criar uma fábrica de aviões de grande porte na China, posicionando-se para receber encomendas de elevados volumes dum mercado de aviação que se crê o maior do mundo dentro de uma década. 

    • Deutsche Bank (DBK GY): A casa de investimento Autonomous afirmou que a instituição financeira alemã já não poderia contar com as suas operações de trading de "fixed income" para ser o principal motor dos resultados, sugerindo que o banco tem urgência em diversificar as suas fontes de receita.

    • Inditex (ITX SM): A empresa espanhola apresentou um lucro semestral de €1,37 mil mn aquém do esperado pelos analistas de €1,39 mil mn. As vendas ascenderam aos €11,7 mil mn ligeiramente abaixo das previsões de €11,68 mil mn. A margem bruta de 56,4% foi abaixo dos 56,8% previstos. O EBITDA foi de €2,29 mil mn vs. €2,34 mil mn previstos e o EBIT foi de €1,74 mil mn vs. €1,78 mil mn previstos. 
  • 20-09-2017
    Abertura de Mercados
    Mercados no vermelho com investidores à espera da Fed
    Fonte: Banco Invest
    200917

    Os mercados europeus estão previstos abrirem em baixa no dia que termina a reunião de dois dias da Reserva Federal dos Estados Unidos. A expectativa dos economistas é de que seja anunciado o início do processo de redução do balanço do banco central de $4,2 bn. Além disso, Janet Yellen deverá também anunciar a manutenção da taxa de juro de referência no intervalo de 1% e 1,25%.

    Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a subir 0,05% e as praças chinesas negociavam positivas.

    As principais bolsas norte-americanas encerraram com novos recordes máximos nos três índices com o índice Dow Jones está a estabelecer máximos de sempre há quatro sessões consecutivas.

    Dados Macroeconómicos:

     00h50: Balança Comercial (Agosto)

     07h00: Índice de Preços no Produtor (Agosto)

     09h30: Vendas a Retalho (Agosto)

     11h00: Índice de Preços da Habitação (2º trimestre)

     11h00: Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação (Agosto)

     15h00: Venda de casas usadas (Agosto)

     19h00: Decisão sobre a taxa de juro de referência da Reserva Federal


    Eventos:

     10h30: Portugal coloca entre €1.500 mn e €1.750 mn de Bilhetes do Tesouro a 6 e 12 meses, num leilão

     19h30: Presidente da Reserva Federal dos EUA, Janet Yellen, realiza uma conferência de imprensa

     Reunião de política não monetária do Conselho de Governadores do BCE


    Estes são os principais destaques da imprensa hoje:

     Portugueses têm 21% do PIB em offshores

     Altice obrigada a remédios no negócio da TVI

     Pimco é decisiva no sucesso da operação do Novo Banco

     Recapitalização: O que Portugal se a Caixa for mesmo ao défice?

      Alojamento local já criou 20 mil empregos em Lisboa

     Alerta na execução dos fundos leva Governo a chamar gestores

     Trump na ONU: Contra Kim e cada vez mais nacionalista

     Novo sismo no México mata dezenas em vários estados

     Informação sobre suspeitos da Lava-Jato não chegou ao SEF

     Rynair oferece até 12 mil euros a comandantes para voarem nas folgas

     Ryanair está a lucrar com remarcação de voos

     Turismo de saúde cresce à custa de investimento dos hospitais privados

  • 19-09-2017
    Noruega
    Maior fundo do mundo atinge 1 bilião de dólares
    Fonte: Bloomberg
    norway

    O fundo soberano da Noruega passou a meta de 1 bilião de dólares pela primeira vez hoje impulsionado pela subida dos mercados accionistas globais e pela fraqueza do dólar.

    O objectivo do fundo, criado em 1996, é investir as receitas do petróleo e gás natural para assegurar as pensões dos noruegueses. Os ganhos deste fundo soberano em 2017 tem sido os mais acentuados da sua história, mas o seu crescimento tem sido exponencial: cresceu 13 vezes desde 2002

    O fundo gerido pelo Norges Bank Investment Managment começou por investir apenas em títulos, mas actualmente aposta maioritariamente em acções estrangeiras (cerca de 65%). O fundo é um dos maiores investidores da bolsa portuguesa e conseguiu um ganho de recorde de €58 mil mn nos primeiros seis meses de 2017 em Portugal.
  • 19-09-2017
    Sector Media
    Anacom dá parecer desfavorável à compra da Media Capital
    Fonte: Media Capital
    mcp

    A Anacom entregou hoje à Autoridade da Concorência um parecer desfavorável à aquisição da Media Capital pela Meo. 

    Segundo a entidade liderada por João Cadete "dados os riscos decorrentes da operação de concentração, tal como foi notificada, a Anacom conclui que a mesma é susceptível de criar entraves significativos à concorrência efectiva nos vários mercados de comunicações electrónicas, com prejuízo em última instância para o consumidor final, pelo que não deverá ter lugar nos termos em que foi proposta".
     
    Apesar do parecer do regulador das comunicações não ser vinculativo, é obrigatório uma vez que se trata de uma operação de concentração de uma empresa do sector que regula.
  • 19-09-2017
    Portugal
    Redução spread Portugal face à dívida alemã suaviza impacto retirada estímulos BCE
    Fonte: Bloomberg
    spread

    A brusca redução do diferencial de risco da República portuguesa face ao "benchmark" da Alemanha, desencadeada pela inesperada subida do "rating" pela S&P's, vai suavizar o futuro embate da redução de estímulos do BCE, segundo o ING.

    Os juros das obrigações a 10 anos de Portugal caíram a pique, seguindo nos 2,44%, contra 2,8% antes da decisão da S&P na sexta-feira passada de elevar o rating do país para grau de investimento. O spread face à dívida alemã apertou para 199 pontos, de 245 antes.
  • 19-09-2017
    Alemanha
    Confiança dos investidores acima do esperado
    Fonte: ZEW
    zew

    A confiança entre os investidores alemães subiu mais do que o esperado em Setembro depois de uma queda de três meses consecutivos sugerindo que os mercados esperam da maior economia europeia uma continuação deste sólido aumento nos próximos meses.

    O instituto ZEW disse que esta sondagem mensal mostrou que o índice de sentimento económico subiu para 17, de 10 em Agosto, acima do esperado pelos economistas de 12.

    Um outro indicador que mede a avaliação dos investidores sobre as condições actuais da economia cresceu para 87,9, de 86,7 no mês anterior também superando as previsões de 86,2.
  • 19-09-2017
    Toys R Us
    Pede insolvência
    toyrus

    A empresa especializada no comércio de brinquedos pode vir a requerer a insolvência nos EUA já esta semana após ter verificado um abandono das suas lojas por parte dos consumidores, em função dos preços mais baixos da concorrência e da competição gerada pelo retalho online.

    Com $4,9 mn de dívida acumulada, a empresa continua a ver as suas receitas a caírem. Para fazer fase a esta situação, a Toys R Us contratou a Firma Kirkland and Ellis para negociar a reestruturação com os credores. A empresa tem actualmente cerca de 1600 lojas em todo mundo. 

    A Toys R Us vai apresentar os resultados do segundo trimestre no próximo dia 26 de Setembro. No primeiro trimestre a empresa perdeu $164 mn, o que representa uma queda nas vendas na ordem dos 4,1%.

O Banco Invest no seu smartphone, disponível para iOS, Android e Windows Phone. É uma aplicação inovadora para quem gosta de poupar e investir, com gráficos e informação sobre acções europeias e americanas, índices de acções, taxas de juro, câmbios, commodities e comentários da nossa equipa de research sobre as principais noticias do dia.

ACESSO INVEST ONLINE

DOCUMENTO PARA VALIDAÇÃO

POSIÇÕES DO NÚMERO DO DOCUMENTO

 
 
Este site utiliza "cookies" para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. Saiba mais Concordo