FIQUE A PARAcompanhe os destaques e principais tendências do dia que influenciam as bolsas em todo o mundo.
Outlook Análise Técnica Research Investimento Educação
21.09.2021 14:58
Análise Técnica
Update: EUROSTOXX50
Eurostoxx50 @ 4097 O índice confirmou ontem a quebra de todas as exponenciais de curto prazo, estando agora apenas acima da exponencial dos 200 dias. Temos agora duas possibilidades bem distintas: - O preço reconquista as exponencias quebradas (a última está agora nos 4159) e retoma a tendência de alta. - A recuperação iniciada ontem mostra-se incapaz de suplantar das resistências destacadas (4125, 4131 e por fim o intervalo 4145/59), o MACD horário inverte em baixa e podemos então defender um teste à exponencial dos 200 dias.   Estas duas hipóteses permitirão elaborar um plano, pelo que vamos então monitorizar o gráfico horário nas próximas horas.   Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4164 O índice aproxima-se rapidamente do suporte intermédio que temos destacado, suportado na “bear trap” de Agosto. A nossa zona preferencial para considerar uma entrada, continua ligeiramente abaixo dos 4100. O intervalo 4202/25 e principalmente os 4188, são as resistências de curto prazo a monitorizar. O “bias” é negativo abaixo desta última referência.   Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4232 No ultimo mês o índice encontrou uma clara resistência numa projecção de Fibonacci (123.6%) a 4237. O gráfico semanal, determinante para aferir a direcção do preço em prazoa mais alargados, mostra-nos dois factos: Acima dos 3867 e principalmente acima dos 4073, o padrão de alta é claro, por outro lado, os indicadores mostram a inexistência de um movimento tendencial e os osciladores divergem negativamente do preço desde Abril.     Os sinais de alarme não devem ser ignorados, mas até uma prova clara por parte do preço, a inclinação é positiva. Destacámos no gráfico diário um canal ascendente desde que o preço diverge dos indicadores (Abril) e definimos duas projecções técnicas em alta, com base no último pequeno recuo no gráfico diário (4280 e 4341). Para este período temporal de análise, a nossa zona de compra é visível no gráfico (convergência entre os últimos mínimos, a exponencial dos 50 dias e o canal referido) – 4080/140.     Numa óptica de “trading” e enquanto o padrão de alta se mantiver, a nossa preferência vai para uma abordagem componente a componente. A “bear trap” destacada reforça o suporte do gráfico diário e será essa a nossa zona preferencial para posições longas. É visível também neste período temporal, a importância da zona dos 4230, pelo que será também essa a referência para o curto prazo. Acima, podemos defender uma ida aos 4280 e depois 4341. Manteremos um bias bastante mais cauteloso se o preço mostrar incapacidade para sustentar acima desta zona.   Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
20.09.2021 14:32
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4433 (fecho de sexta-feira) Os sinais de alarme que identificámos nos gráficos de curto prazo trouxeram o índice à zona de compra/suporte que definimos na última nota, para posicionamentos mais agressivos. O S&P500 prepara uma abertura muito próximo da zona inferior do intervalo referido (4375). Faz sentido também relembrar que a exponencial dos 200 dias é o suporte técnico que esperamos ver testado ainda este ano (para hoje na zona dos 4110 com inclinação claramente positiva).         Análise Anterior: S&P500 @ 4524.09 (fecho de quarta-feira) Destacámos um canal ascendente no gráfico de médio/longo prazo, que teve início após a quebra em alta dos níveis pre-pandemia. A figura engloba claramente o preço desde então e permite apontar a zona dos 4300 como o suporte de prazo mais alargado a monitorizar. Fazemos referência aos indicadores, que nos mostram uma força de tendência reduzida e algumas divergências negativas.     Olhando para o gráfico diário, faz sentido lembrar que nos últimos 25 anos, só em 2 o preço não testou a exponencial dos 200 dias (hoje nos 4061, com inclinação claramente positiva). Esta seria a zona óbvia de entrada para investidores, mas para posicionamentos claramente mais agressivos, definimos uma outra, destacada como “buying area”. No sentido inverso e enquanto o padrão de mantiver, podemos esperar uma ida acima dos 4600, desde que o preço sustente acima das projecções de Fibonacci que identificámos no gráfico (4506 e 4549).     Passando ao período temporal de análise onde normalmente definimos os nossos planos de “trading”, constatamos mais uma vez que alguns indicadores divergem do preço nos máximos, mas também identificamos dois suportes claros que têm aguentado o preço nos recuos: A exponencial dos 50 (agora nos 4507) e dos 200 períodos (nos 4447). O preço desenhou uma clara linha de máximos na zona dos 4538, que com as exponenciais referidas, coompleta a lista das nossas referências técnicas para o curto prazo. Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
10.09.2021 16:01
Invest Monthly
Agosto de 2021
Indicadores Económicos De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, a recuperação da economia nacional no segundo trimestre deste ano foi robusta, em resultado do plano de reabertura gradual da actividade, depois do confinamento mais restrito no primeiro trimestre. Assim, o PIB português aumentou 4,9% em cadeia, mais que compensando a queda registada nos primeiros três meses do ano. Em termos homólogos, a economia avançou 15,5%, especialmente impulsionado pelo consumo público e privado.   Na Zona Euro, o PIB aumentou 2,2% no segundo trimestre, quando comparado com o primeiro trimestre do ano. Em termos anuais, o crescimento foi de 14,3%, ligeiramente acima do esperado pelos analistas. As perspectivas de crescimento e emprego na Zona Euro continuam a ser muito favoráveis. Assim, por exemplo, o indicador de sentimento económico elaborado pela Comissão Europeia (o ISE) encontra-se perto do valor máximo, apesar da ligeira descida em Agosto (117,5 vs 119 pontos), e as expectativas de emprego voltaram a melhorar e alcançaram máximos desde Novembro de 2018 (112,6 vs 111,6 pontos em Julho).   Em Agosto, a taxa de desemprego nos EUA caiu de 5,4% para 5,2%. No entanto, de acordo com o indicador que mede a alteração nas folhas de pagamento dos sectores não-agrícola, houve um ganho de apenas 235 mil novos postos de trabalho, muito aquém da estimativa de 733 mil. A taxa de inflação no mês de Julho, medida pelo indicador PCE Core Deflator, ficou em linha com o valor esperado pelo mercado, fixando-se nos 3,6%, mais 0,1 pp que no mês anterior. Evolução dos Mercados Accionistas Agosto foi um mês de baixa volatilidade e de subidas para a maioria dos principais índices de acções. Na Europa, os índices DAX-30 e o EuroStoxx50 registaram valorizações de 1,9% e 2,6%, respectivamente. Do outro lado do Atlântico, os índices S&P-500 e o Nasdaq-100 terminaram com subidas de 2,9% e 4,2%, respectivamente. O governador do banco central da Alemanha e membro do Conselho do BCE, Jens Weidmann, alertou para o risco da inflação na Zona Euro poder vir a aumentar a um ritmo superior ao esperado, e afirmou que o BCE não deveria prolongar o programa de emergência de compra de obrigações. Actualmente, o BCE projecta uma inflação média de 1,9% em 2021, reflectindo factores temporários, para depois cair para 1,5% e 1,4% em 2022 e 2023, respetivamente. Devido à melhoria do outlook económico, o BCE poderá reduzir o ritmo de compra de obrigações no quarto trimestre deste ano, e poderá não chegar a esgotar totalmente o programa de emergência, no valor de EUR 1,85 mil milhões. Os EUA terminaram oficialmente a sua presença militar no Afeganistão no dia 31, concluindo assim duas décadas de envolvimento americano como consequência dos ataques terroristas de 11 de Setembro. Também neste mês, o Senado aprovou o plano de infraestruturas de USD 550 mil milhões, sendo agora necessária a aprovação na Câmara dos Representantes. O voto bipartidário de 69-30 marcou uma vitória importante para a agenda económica do Presidente Joe Biden. A China aprovou uma legislação que irá delinear regras mais restritas na forma como as empresas gerem os dados dos clientes, numa decisão que deverá pressionar ainda mais a influência das grandes tecnológicas.  Com efeito, o governo chinês aprovou a lei de Protecção da Informação Pessoal que obrigará as empresas a obter autorização dos utilizadores para colecionar, usar e partilhar informação, e disponibilizar uma opção para os utilizadores mudarem as suas preferências Alocação de Activos As carteiras encerraram o mês de Agosto com uma valorização de 1,3%, menos 80bp do que o respectivo benchmark (2,1%). Nos últimos doze meses, a valorização ascende a 14,2%, contra os 18,7% registados pelo benchmark. Os mercados acionistas registaram, de um modo geral, performances positivas em Agosto. Nos Estados-Unidos, os índices S&P-500 e Nasdaq-100 variaram 2,9% e 4,2%, e, na Europa, os índices EuroStoxx-50 e FTSE-100 registaram ganhos de 2,6% e de 1,2%, e os índices IBEX-35 e PSI-20 subiram 2,0% e 7,8%, respectivamente. Entre os mercados emergentes, destaque para as perdas ligeiras no mercado chinês (-0,1%, CSI-300), e para os ganhos no mercado indiano (9,4%, S&P Sensex) assim como na América do Sul (0,2%, MSCI EM Latin American). As subidas dos índices nos Estados Unidos continuaram a ser suportadas pelos bons resultados das empresas no último trimestre, com valores a excederem as expectativas dos investidores. Entre as obrigações, o segmento Investment Grade global desceu -0,3% (EurH) e o segmento High Yield valorizou 0,7% (EurH), revertendo a underperformance registada durante o mês de Julho. O mês de Agosto ficou ainda marcado pelo simpósio económico de Jackson Hole onde o presidente da FED reafirmou a perspectiva de uma redução lenta dos estímulos monetários. Disclaimer: A informação contida neste documento tem um carácter exclusivamente informativo e particular. A informação foi obtida junto de fontes consideradas fiáveis, não sendo, contudo, possível garantir a sua precisão. As opiniões expressas são da inteira responsabilidade dos seus autores, reflectindo apenas os seus pontos de vista, os quais podem não ser coincidentes com opiniões expressas por outras áreas do Banco Invest, SA. O Banco Invest, SA rejeita qualquer responsabilidade por eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente, da utilização da informação referida neste documento. O Banco Invest, SA e os seus colaboradores poderão deter posições em qualquer activo mencionado neste documento. A reprodução de parte ou totalidade desta publicação é permitida, sujeita a indicação da fonte. Relativamente ao produto “Invest – Dinâmico”, as taxas de rendibilidade apresentadas são líquidas de comissões de gestão e correspondem à mediana das rendibilidades das carteiras sobre gestão discricionária no perfil “Dinâmico”. As rendibilidades dos índices que compõem o Benchmark são obtidas junto da Bloomberg. Taxas de rendibilidade e risco calculadas com base na cotação dos diversos ativos a 31-Ago-21. Rendibilidades passadas não constituem garantia de rendibilidades futuras. A rendibilidade do investimento depende da evolução dos ativos detidos em Carteira, e pode ser influenciada por factores políticos, económicos e financeiros, incluindo variações cambiais, que estão inter-relacionados, bem como por outros factores que afectam, genericamente, os mercados financeiros.
09.09.2021 16:59
Prémio de Risco
Saiba o que é, como medir e a sua importância
O prémio de risco das acções (equity risk premium) é o prémio que os investidores exigem para investir num activo com risco em relação à rendibilidade dos activos sem risco.   Por exemplo, imaginemos que podemos obter uma rendibilidade de 2% num activo sem risco. O prémio de risco é a percentagem que os investidores exigem acima desses 2% para investir num activo com risco. Se o prémio de risco for de 3%, isto quer dizer que os investidores esperam obter uma rendibilidade de 5% num determinado activo, como contrapartida pelo risco assumido.   Dado que os investidores preferem activos sem risco em vez de activos com risco (risk aversion), o prémio de risco tem de ser obrigatoriamente maior que zero, e quanto mais os investidores forem avessos ao risco maior é o prémio que eles deverão exigir.   O prémio de risco não é constante e varia ao longo do tempo. Quando a conjuntura económico-social muda, o prémio de risco também varia, sobretudo, durante períodos de recessão económica onde a percepção e a aversão ao risco mudam drasticamente.   Como medir o Prémio de Risco?   As 3 formas mais populares de medir o prémio de risco são:  - Sondagens  - Prémio de risco histórico  - Prémio de risco implícito   Sondagens Este método consiste em perguntar a um grupo aleatório de investidores quanto é que eles pensam que será a rendibilidade, por exemplo, das acções num período de 1 ou 5 anos no futuro. O objetivo é medir qual a média do retorno esperado pelos investidores. O problema com este método é que é muito volátil e muitas vezes é mais uma reflexão do passado do que uma expectativa para o futuro, ou seja, após de beneficiarem de fortes valorizações no passado, as sondagens tendem a apresentar valores mais altos e vice-versa. Prémio de Risco Histórico O prémio de risco histórico é dos métodos mais usados pelos analistas. Resume-se a considerar um período histórico, de três, cinco, dez, cinquenta, ou mesmo uma centena de anos, e observa-se o quanto, em média, a rendibilidade das acções foi superior à rendibilidade do risk-free rate (normalmente as obrigações do tesouro são usadas como proxy do risk-free rate). Contudo este método também tem problemas dado que o prémio de risco obtido apresenta grande sensibilidade face ao período da amostra escolhida. Outro problema é que é uma estimativa estatística, ou seja, todas as estimativas obtidas pelo uso de métodos estatísticos estão sujeitas a uma margem de erro, e quanto menor for o número de períodos utilizados maior será a margem de erro. Por outras palavras, um prémio de risco obtido com os dados históricos dos últimos cinco anos, apesar de ser construído com os dados mais recentes, apresenta uma margem de erro superior a um prémio de risco obtido com os dados históricos dos últimos vinte anos. Fig. 1: Prémio de Risco Histórico Fonte: Bloomberg , Banco Invest, Online Data - Robert Shiller. Prémio de risco histórico com períodos móveis de 30 e 50 anos usando as médias aritméticas. 01/1921 - 06/2021.   Prémio de Risco Ímplicito O prémio de risco implícito é a percentagem que os investidores requerem acima do risk-free rate, implícita nos preços de mercado, considerando as estruturas do cenário económico e dos resultados das empresas nos próximos anos. Como proxy de todas de acções usam-se os principais índices accionistas como, por exemplo, o S&P500 nos Estados Unidos, e é através do preço actual do índice e dos resultados das empresas esperados para os próximos anos que se chega ao retorno esperado implícito no mercado. O prémio de risco implícito é a diferença entre o retorno esperado implícito do mercado e o risk-free rate. Por exemplo, a 30 de Junho deste ano, o S&P500 encontrava-se a 4297,5. As duas formas mais comuns como as empresas distribuem os resultados pelos investidores, sobretudo nos Estados Unidos, são através de dividendos e recompra de acções própria (buybacks). Nos últimos 12 meses a yield dos dividendos e a yield dos buybacks foi de cerca de 1,4% e 1,5%[1], respectivamente, o que dá uma yield do índice de cerca de 2,9%, ou seja, o fluxo de caixa é de 124,6. Assumindo que o crescimento médio dos resultados das empresas é de 5% nos próximos 5 anos, e depois passam a crescer no mesmo ritmo que a economia (aumento em perpetuidade de 1,5%), temos então: Resolvendo esta equação para  obtemos um retorno esperado do mercado de 4,9% e, por consequência, obtemos um prémio de risco implícito de 3,4%. A Importância do Prémio de Risco   O Prémio de Risco como uma métrica de valor relativo O objetivo de comprar acções, obrigações, ou outras classes de activos é obter o máximo de rendibilidade possível. Essa rendibilidade vai depender do nosso perfil de risco e esse vai influenciar a nossa alocação de activos. É de conhecimento geral que, a longo prazo, a rendibilidade esperada das acções é maior que das obrigações, precisamente porque as primeiras têm mais risco que as segundas.   A razão de alguns investidores preferirem alocar mais peso nas obrigações do que nas acções, apesar de terem uma rendibilidade esperada menor, resulta da sua maior aversão ao risco. Não há resposta certa sobre se se deve investir mais em acções ou obrigações. A questão depende sempre da aversão ao risco de cada investidor. Por outro lado, a aversão ao risco não é uma medida estática, e o mercado pode encontrar-se mais avesso ao risco quando a economia se encontra num período difícil ou menos avesso ao risco quando a economia se encontra em expansão. Estes níveis de aversão ao risco podem ser quantificados no prémio de risco.   Quando o prémio de risco se encontra em valores muito baixos significa que os investidores estão muito optimistas quanto ao crescimento da economia e dos resultados das empresas no futuro, o que por norma revela um maior apetite para o risco. Isso leva-os a comprarem mais acções e, por consequência, a empurrar as cotações para cima, o que origina, como podemos observar na equação (2), um prémio de risco implícito menor. Um baixo prémio de risco significa que os activos de risco estão a “pagar” pouco relativamente aos activos mais seguros.   No caso contrário, quando a economia se encontra num período de crise, os investidores estão mais preocupados em preservar o seu capital, o que os leva a vender acções, puxando o índice para baixo. Neste caso o prémio de risco aumenta. Através da figura 1 verificamos que, em Junho de 2021, o prémio de risco, com base na média dos últimos 50 anos, é de 4,9%. Contudo o prémio de risco implícito obtido na equação (2) foi de 3,4%. Isso significa que, os investidores, ou estão bastantes optimistas quanto aos bons resultados do mercado accionista no futuro, ou estão dispostos a obter a obter uma rendibilidade menor nas acções face à sua média histórica. A importância do Prémio de Risco para as valorizações O prémio de risco reflecte os juízos de valor que fazemos sobre quanto risco existe na economia e qual o preço que atribuímos a esse risco. Praticamente todos os modelos de Valuation usam taxas de desconto como o custo de capital, e este necessita do prémio de risco para ser calculado. Isso torna o prémio de risco uma componente central nos modelos de valorização. Por exemplo, se for usado um prémio de risco bem acima do seu valor real como input, o custo de capital será maior, reduzindo o valor do activo e, neste caso, subestimando o valor real do mesmo, e vice-versa. Desta maneira, a escolha do prémio de risco utilizado pode ter grande consequências no valor do activo. Conclusão O prémio de risco é uma medida que nos permite avaliar o risco percepcionado nos mercados financeiros e é fortemente sensível à aversão ao risco. Existem três formas de determinar o prémio de risco, cada uma com as suas vantagens e desvantagens.   O método das sondagens é fácil para determinar o prémio de risco, contudo está altamente condicionado à percepção dos investidores. O prémio de risco histórico tem na sua construção dados objetivos e reais, no entanto tende a representar o passado e não o futuro e a sua margem de erro pode tornar o valor obtido estatisticamente pouco significativo. O prémio de risco implícito apesar de ser um método dinâmico e forward looking encontra-se sujeito à correcta estimativa da taxa de crescimento média dos resultados das empresas e à validade dos pressupostos do modelo. O prémio de risco tem grande relevância, não só para as avaliações do custo de capital nas disciplinas de Valuation, como também é uma componente fundamental para avaliar o valor relativo das classes de activos no mercado.   A diferença entre o prémio de risco implícito e o histórico, em Junho de 2021, reflete um grau elevado de optimismo no mercado e sugere que os investidores, neste período, encontram-se com uma aversão ao risco abaixo da média histórica. [1] Yardeni, Edward, et al. “Corporate Finance Briefing: S&P 500 Buybacks & Dividends.” Yardeni Research, Inc., August 2021 Bibliografia Damodaran, Aswath. “Equity Risk Premiums: Determinants, Estimation and Implications - The 2020 Edition.” SSRN Electronic Journal, 2020. Crossref, doi:10.2139/ssrn.3550293. Yardeni, Edward, et al. “Corporate Finance Briefing: S&P 500 Buybacks & Dividends.” Yardeni Research, Inc., August 2021, p. 2. Shiller, Robert. “Online Data - Robert Shiller.” Robert Shiller, 2018, www.econ.yale.edu/%7Eshiller/data.htm.   Daniel Vicente Setembro de 2021
08.09.2021 11:35
Análise Técnica
Update: EUROSTOXX50
Eurostoxx50 @ 4164 O índice aproxima-se rapidamente do suporte intermédio que temos destacado, suportado na “bear trap” de Agosto. A nossa zona preferencial para considerar uma entrada, continua ligeiramente abaixo dos 4100. O intervalo 4202/25 e principalmente os 4188, são as resistências de curto prazo a monitorizar. O “bias” é negativo abaixo desta última referência.   Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4232 No ultimo mês o índice encontrou uma clara resistência numa projecção de Fibonacci (123.6%) a 4237. O gráfico semanal, determinante para aferir a direcção do preço em prazoa mais alargados, mostra-nos dois factos: Acima dos 3867 e principalmente acima dos 4073, o padrão de alta é claro, por outro lado, os indicadores mostram a inexistência de um movimento tendencial e os osciladores divergem negativamente do preço desde Abril.     Os sinais de alarme não devem ser ignorados, mas até uma prova clara por parte do preço, a inclinação é positiva. Destacámos no gráfico diário um canal ascendente desde que o preço diverge dos indicadores (Abril) e definimos duas projecções técnicas em alta, com base no último pequeno recuo no gráfico diário (4280 e 4341). Para este período temporal de análise, a nossa zona de compra é visível no gráfico (convergência entre os últimos mínimos, a exponencial dos 50 dias e o canal referido) – 4080/140.     Numa óptica de “trading” e enquanto o padrão de alta se mantiver, a nossa preferência vai para uma abordagem componente a componente. A “bear trap” destacada reforça o suporte do gráfico diário e será essa a nossa zona preferencial para posições longas. É visível também neste período temporal, a importância da zona dos 4230, pelo que será também essa a referência para o curto prazo. Acima, podemos defender uma ida aos 4280 e depois 4341. Manteremos um bias bastante mais cauteloso se o preço mostrar incapacidade para sustentar acima desta zona.   Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
02.09.2021 09:48
Análise Técnica
S&P500 | EUROSTOXX50
S&P500 @ 4524.09 (fecho de quarta-feira) Destacámos um canal ascendente no gráfico de médio/longo prazo, que teve início após a quebra em alta dos níveis pre-pandemia. A figura engloba claramente o preço desde então e permite apontar a zona dos 4300 como o suporte de prazo mais alargado a monitorizar. Fazemos referência aos indicadores, que nos mostram uma força de tendência reduzida e algumas divergências negativas.     Olhando para o gráfico diário, faz sentido lembrar que nos últimos 25 anos, só em 2 o preço não testou a exponencial dos 200 dias (hoje nos 4061, com inclinação claramente positiva). Esta seria a zona óbvia de entrada para investidores, mas para posicionamentos claramente mais agressivos, definimos uma outra, destacada como “buying area”. No sentido inverso e enquanto o padrão de mantiver, podemos esperar uma ida acima dos 4600, desde que o preço sustente acima das projecções de Fibonacci que identificámos no gráfico (4506 e 4549).     Passando ao período temporal de análise onde normalmente definimos os nossos planos de “trading”, constatamos mais uma vez que alguns indicadores divergem do preço nos máximos, mas também identificamos dois suportes claros que têm aguentado o preço nos recuos: A exponencial dos 50 (agora nos 4507) e dos 200 períodos (nos 4447). O preço desenhou uma clara linha de máximos na zona dos 4538, que com as exponenciais referidas, coompleta a lista das nossas referências técnicas para o curto prazo. Eurostoxx50 @ 4232 No ultimo mês o índice encontrou uma clara resistência numa projecção de Fibonacci (123.6%) a 4237. O gráfico semanal, determinante para aferir a direcção do preço em prazoa mais alargados, mostra-nos dois factos: Acima dos 3867 e principalmente acima dos 4073, o padrão de alta é claro, por outro lado, os indicadores mostram a inexistência de um movimento tendencial e os osciladores divergem negativamente do preço desde Abril.     Os sinais de alarme não devem ser ignorados, mas até uma prova clara por parte do preço, a inclinação é positiva. Destacámos no gráfico diário um canal ascendente desde que o preço diverge dos indicadores (Abril) e definimos duas projecções técnicas em alta, com base no último pequeno recuo no gráfico diário (4280 e 4341). Para este período temporal de análise, a nossa zona de compra é visível no gráfico (convergência entre os últimos mínimos, a exponencial dos 50 dias e o canal referido) – 4080/140.     Numa óptica de “trading” e enquanto o padrão de alta se mantiver, a nossa preferência vai para uma abordagem componente a componente. A “bear trap” destacada reforça o suporte do gráfico diário e será essa a nossa zona preferencial para posições longas. É visível também neste período temporal, a importância da zona dos 4230, pelo que será também essa a referência para o curto prazo. Acima, podemos defender uma ida aos 4280 e depois 4341. Manteremos um bias bastante mais cauteloso se o preço mostrar incapacidade para sustentar acima desta zona.   Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
01.09.2021 15:56
Análise Técnica
Update: DAX
DAX @ 15889 O índice Alemão reconquistou a zona dos 15800 sem vir abaixo dos mínimos de meados de Agosto, voltando para dentro da consolidação dos últimos meses. É visível no gráfico a resistência de curto prazo, bem como a llinha de tendência (ascendente) que tem servido de suporte no curto prazo. São as nossas duas referências para as próximas sessões.   Análise Anterior: DAX @ 15674   O índice Alemão esteve a consolidar desde Abril com máximos na zona dos 15800. Acompanhado por várias divergências negativas, o preço negociou algumas sessões acima dessa importante referência, que quebrou em baixa ontem com um “gap down”. Tecnicamente, abaixo dos 15800 sugerimos redobradas cautelas nas entradas nos componentes deste índice. Por outro lado, a exponencial dos 50 dias tem servido de suporte, com uma pequena excepção em meados de Julho. Esta referência, hoje nos 15633 (na zona dos mínimos da última sessão), apresenta-se como o último suporte antes de um expectável teste à exponencial dos 200 dias (hoje nos 14737, com inclinação claramente positiva). Com estas premissas, elaborámos um plano que só será válido com a quebra do mínimo de ontem (15621): Sugerimos um “trigger” de venda nos 15620, com um “stop” @ 15820 e como objectivo, os 14820. Continuamos com apenas 1/32 do risco máximo.         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
31.08.2021 16:31
Análise Técnica
Update: EUROSTOXX50
Eurostoxx50 @ 4184 Depois da “Bear trap” em meados de Agosto, que deixou para trás uma ilha de inversão positiva, o índice foi testar a zona de resistência que definimos na última nota (“gap down” deixado na correcção de Agosto). É agora expectável novo teste à zona de suporte (“gap up” deixado quando desenhou a figura destacada), o que devemos ver como uma oportunidade de entrada nos seus componentes. Como habitualmente, iremos monitorizar o MACD horário nessa zona (4148/65).   Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4206 O Eurostoxx50 voltou a desenhar novos máximos numa quinzena sem recuos, mas também desta vez voltou a divergir negativamente dos indicadores. Continuamos com um bias cauteloso e a preferir uma abordagem componente a componente. Destaque para o intervalo 3800/41 como a grande referência no gráfico semanal.     O padrão das últimas 3 velas no gráfico diário sugere alguma exaustão, a confirmação só será dada com a quebra do intervalo 4147/71, definido pelas médias móveis de curto prazo que têm suportado o preço. A zona dos 4230 é a resistência de curto prazo a monitorizar.   Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 3926 O teste esperado aos 3920 está feito. O preço e os indicadores sugeriam cautelas, as duas últimas sessões confirmam claramente a nossa expectativa. Numa óptica de “trading”, é importante agora identificar se o que nos espera é uma retoma da tendência que vigorou até Junho, ou vamos finalmente e como habitualmente, fazer nova visita (no curto prazo) à exponencial dos 200 dias. O “gap down” de hoje é a nossa referência para as próximas semanas. Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4062 Um índice parou a recuperação na zona que definimos como resistência, desenhando algumas divergências negativas. A sustentação abaixo dos 4040 refoçaria o nosso bias cauteloso, sugeriria novo teste aos 3920 e obrigaria a novo “update”. Análise Anterior: Eurostoxx50 @4023 O índice Europeu ainda não recuperou daquela sexta-feira com fecho nos 4083, estando inclusive a negociar abaixo da exponencial dos 50 dias depois do primeiro fecho abaixo desta referência desde Janeiro… O nosso bias continua cauteloso/negativo e defendemos que a sustentação abaixo da exponencial dos 50 dias deverá acabar por implicar um teste à dos 200.  Acima dos 4080/100 assumimos alguma neutralidade. Abaixo dos 4040 devemos ter novo teste aos 3920. Análise Anterior: Eurostoxx50 @4083.37 (fecho de sexta-feira) O índice marcou novos máximos mas bastou uma sessão para o colocar novamente na importante zona dos 4080 e anular as últimas 10 sessões! O nosso “bias continua negativo.     O gráfico horário desenhou nova divergência negativa e fechou a sessão em cima da expoencial dos 200 períodos, obrigando a alguma atenção nas próximas horas. A quebra desta referência deve trazer finalmente o teste aos 3920. Suporte intermédio no intervalo 4020/40.   Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4090 O índice está a testar o 1º suporte na exponencial das 50 horas (1º suporte). Um fecho horário abaixo dos 4087 ou a quebra em negociação dos 4080 obrigaria a : - Alterar o “stop” do 1º plano para o “breakeven” - Alterar o “stop do 2º plano para os 4124 (reduzindo para metade o risco assumido). Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4104 O “grinding higher” continua sem recuos, com as divergências a acumularem-se (o mercado está claramente à espera do BCE e dos dados da inflação nos EUA na próxima quinta-feira). O sentimento e o momentum são o pilar que suporta o nosso bias”, mas o padrão do preço obriga a ter a nossa expectativa como de alto risco no curto prazo. Insistimos na ideia que temos defendido: “os mínimos são eventos e os topos são processos”. A exponencial dos 200 dias, referência regularmente visitada, está na zona dos 3700 e é esse o nosso objectivo para uma correcção de curto prazo. A zona dos 4040, anterior resistência de curto prazo, permanece como valor a ter em conta num movimento de curto prazo, pelo que sugerimos duas ideias, com entrada no nível actual do índice (4104): - Venda com objectivo nos 4044 e com “stop” @ 4124 (rácio retorno/risco de 3) - Venda com objectivo nos 3704 e um “stop” @ 4144 (rácio retorno/risco de 10) Lembramos que o padrão de alta, mesmo com vários sinais de alarme técnicos, ainda vigora, pelo que sugerimos apenas 1/32 do risco máximo para os dois planos. Análise Anterior: Eurostoxx50 @4032 O índice continua incapaz de suplantar de forma consistente a zona de resistência que temos monitorizado (4040). Assinalámos a entrada sugerida ontem e reiteramos o objectivo nos 3918. Se o Eurostoxx50 negociar abaixo dos 3999 sugerimos uma alteração do “stop” para o “breakeven” (entrada @ 4038).     Análise Anterior: Eurostoxx50 @4048 Mais uma abertura em “gap up” na zona de resistência, o que é o mesmo que dizer, nova tentativa de “breakout” sem volume. A participação dos intervenientes tem sido cada vez menor, mas não podemos descartar a possibilidade de o preço conseguir suplantar esta zona. Por outro lado, a incapacidade para mais uma vez não aguentar os 4040, terá o nosso total interesse numa óptica de “trading”, pelo que sugerimos um “trigger” de venda nos 4038, com um “stop” nos 4058 e como objectivo, os 3918 (rácio retorno/risco de 6). Continuamos com apenas 1/32 do risco máximo.     Análise Anterior: Eurostoxx50 @3944   Não esperávamos novo “gap” de exaustão na mesma zona e novos máximos (por 3 pontos), mas a reacção posterior reforça a importância da resistência e a nossa expectativa. O cenário é claramente mais “bearish” neste momento e continuamos a ter como válidos os objectivos em baixa. Mais uma vez iremos esperar por uma recuperação para elaborar novo plano de entrada. A quebra da zona dos mínimos anteriores (junto aos 3860) pode obrigar a reavaliar os gráficos de prazo mais alargado.     Análise Anterior: Eurostoxx50 @4012.5   O índice voltou a aguentar na zona da exponencial dos 50 dias e em duas sessões encostou à zona de máximos do último mês, mantendo os sinais de alarme que levaram à sugestão dos planos anteriores. O gráfico horário volta a mostrar um sinal de venda, reforçando a importância desta resistência, pelo que sugerimos nova entradanos níveis actuais (4012.5), com um “stop” nos 4042.5 e como objectivo os 3832.5 (rácio retorno/risco de 8). Vamos para já manter apenas 1/32 do risco máximo.     Análise Anterior: Eurostoxx50 @3955   O final da semana passada trouxe novo “rally”, mais uma vez com fraco volume e momentum, que de qualquer forma acabaram por atingir os nossos “stops” (no breakeven). Tecnicamente o nosso cenário “bearish” continua válido e até sai reforçado, mas obriga agora a esperar por nova recuperação até uma zona de resistência para a elaboração de um novo plano. Lembramos que o 1º objectivo no gráfico diário está abaixo dos 3900.     Análise Anterior: Eurostoxx50 @3970   O índice acabou mesmo por recuar, tendo já negociado abaixo dos mínimos relativos anteriores neste período temporal de análise. Sugerimos para já a alteração dos dois “stops” para o “breakeven” e se o índice quebrar os 3950, nova alteração do “stop” do Plano 1 para os 3974. Se continuar a correcção e quebrar os mínimos de ontem (3918), nova alteração para os 3954. Mantemos os objectivos para os dois planos.     Análise Anterior: Eurostoxx50 @ 4014   O padrão de alta do preço não sofre contestação, pelo que a ideia que vamos sugerir em seguida envolve riscos acrescidos por ser contrária à tendência dominante. O gráfico diário pode estar a desenhar um “lower high” depois de vincar novas divergências negativas nos últimos máximos.     Olhando para o gráfico horário, constatamos que também neste período temporal o preço está a desenhar divergências negativas. Sugerimos então dois planos:   1 – Entrada nos níveis actuais (4014) com um “stop” @ 4034 e como objectivo os 3864 (na zona da exponencial dos 50 dias) – Rácio retorno/risco de 7.5 2 – Entrada nos níveis actuais (4014), com um “stop” @ 4064 e como objectivo os 3614 (acima da exponencial dos 200 dias) – Rácio retorno/risco de 8.   Para qualquer um dos planos defendemos apenas 1/32 do risco máximo   Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
31.08.2021 10:05
Análise Técnica
Update: EUR/USD
EUR/USD @1.1829   O par continua na direcção esperada, mas vai agora encontrar várias resistências (anteriores suportes). Sugerimos para já nova alteração do “stop”, agora para os 1.1812. Se o preço negociar acima dos 1.1886, faremos nova alteração para os 1.1852. Mantemos o objectivo nos 1.1932, mas se o Euro quebrar os 1.19 em alta, fará sentido uma última alteração do “stop” para os 1.11892.       Análise Anterior: EUR/USD @1.18   O par continua a sua caminhada de alta após o teste à zona dos 1.17. Mantemos o objectivo definido nos 1.1932, mas sugerimos a alteração do “stop” para os 1.1772.       EUR/USD @1.1718   Enquanto o MACD horário estiver a apontar para cima, a divergência positiva no gráfico diário suporta o seguinte plano: - Entrada com um “buy trigger” @ 1.1732 com objectivo nos 1.1932. Como stop sugerimos os 1.1692. Esta ideia só é válida, repetimos, com o MACD horário com uma inclinação positiva. Continuamos com um risco reduzido, 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: EUR/USD @1.1776   O teste aos 1.17 está feito. O par tem-se mostrado incapaz de sustentar acima da exponencial dos 200 dias nos últimos 2 meses. Por outro lado, o mínimo da semana passada foi feito com uma clara divergência positiva no MACD diário. Acrescentamos que o enorme pessimismo (em relação ao dólar) do 1º semestre é agora muito menor, com as posições longas em dólar (curtas em Euro) a terem a maioria, ainda longe de extremos. Consideraremos entradas longas no intervalo 1.16/7 e estaremos especialmente atentos às reacções à exponencial dos 200 dias.       Análise Anterior: EUR/USD @1.1825   O para volta a estar a negociar claramente abaixo da exponencial dos 200 dias, o que sugere novo teste à zona dos 1.17 ou mesmo uma inversão de direcção dominante. Acima dos 1.2005 (dois fechos diários) teríamos de reavaliar, até lá, esperamos um teste aos mínimos de Março.       Análise Anterior: EUR/USD @1.2255   O par Euro/dólar passou as últimas 5 sessões a consolidar em cima da resistência intermédia que definimos na zona dos 1.22. Os indicadores estão a ficar esgotados, mas a sessão de hoje está a dar nova vida ao MACD diário o que pode suportar o “breakout”.     A consolidação sugere também um objectivo em alta para esse “breakout”, os 1.232. Esta ideia é válida acima dos 1.2240 e é negóciável num “retest”.     Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
30.08.2021 14:36
Análise Técnica
Update: EUR/USD
EUR/USD @1.18   O par continua a sua caminhada de alta após o teste à zona dos 1.17. Mantemos o objectivo definido nos 1.1932, mas sugerimos a alteração do “stop” para os 1.1772.       EUR/USD @1.1718   Enquanto o MACD horário estiver a apontar para cima, a divergência positiva no gráfico diário suporta o seguinte plano: - Entrada com um “buy trigger” @ 1.1732 com objectivo nos 1.1932. Como stop sugerimos os 1.1692. Esta ideia só é válida, repetimos, com o MACD horário com uma inclinação positiva. Continuamos com um risco reduzido, 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: EUR/USD @1.1776   O teste aos 1.17 está feito. O par tem-se mostrado incapaz de sustentar acima da exponencial dos 200 dias nos últimos 2 meses. Por outro lado, o mínimo da semana passada foi feito com uma clara divergência positiva no MACD diário. Acrescentamos que o enorme pessimismo (em relação ao dólar) do 1º semestre é agora muito menor, com as posições longas em dólar (curtas em Euro) a terem a maioria, ainda longe de extremos. Consideraremos entradas longas no intervalo 1.16/7 e estaremos especialmente atentos às reacções à exponencial dos 200 dias.       Análise Anterior: EUR/USD @1.1825   O para volta a estar a negociar claramente abaixo da exponencial dos 200 dias, o que sugere novo teste à zona dos 1.17 ou mesmo uma inversão de direcção dominante. Acima dos 1.2005 (dois fechos diários) teríamos de reavaliar, até lá, esperamos um teste aos mínimos de Março.       Análise Anterior: EUR/USD @1.2255   O par Euro/dólar passou as últimas 5 sessões a consolidar em cima da resistência intermédia que definimos na zona dos 1.22. Os indicadores estão a ficar esgotados, mas a sessão de hoje está a dar nova vida ao MACD diário o que pode suportar o “breakout”.     A consolidação sugere também um objectivo em alta para esse “breakout”, os 1.232. Esta ideia é válida acima dos 1.2240 e é negóciável num “retest”.     Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
27.08.2021 16:23
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4504   O teste de ontem à exponencial das 50 horas “obrigou” a uma alteração do “stop” para o “breakeven”. Tecnicamente a ideia continua válida, os indicadores continuam a divergir negativamente. Sugerimos então uma reentrada nos níveis actuais (4504), com um “stop” @ 4514 e mantemos o objectivo na mesma zona (consideramos os 4394 – o rácio retorno/risco hoje é o dobro do plano de ontem). Continuamos com 1/32 do risco máximo.   Análise Anterior: S&P500 @ 4491   O índice já testou a extensão em alta que víamos como expectável para este movimento. Os suportes no gráfico diário estão bastante abaixo mas para já sugerimos apenas um plano para o curto prazo com base no padrão das últimas sessões e nas divergências negativas no teste à referência técnica na zona dos 4500. Com uma entrada nos níveis actuais (4491) e um “stop” @ 4511, temos como objectivo os 4391 (zona dos anteriores mínimos de curto prazo). Se o índice testar a exponencial das 50 horas (hoje nos 4467 com inclinação positiva), o “stop” deve ser imediatamente alterado para o “breakeven”. Continuamos com 1/32 do risco máximo.   Análise Anterior: S&P500 @ 4397   A quebra da exponencial dos 50 trouxe de facto o teste à referência seguinte. Para já este pequeno recuo é em tudo semelhante aos anteriores. A reconquista da exponencial dos 50 e a sustentação acima dos 4419, apoiariam esta idea. Por outro lado, a quebra do intervalo 4351/76, sugere uma correcção mais prolongada. A 1ª referência técnica para a sessão de hoje é exactamente o fecho de ontem, nos 4400.   Análise Anterior: S&P500 @ 4448 O índice continua a sustentar acima da exponencial dos 50 períodos, embora pouco tenha avançado nas últimas duas semanas, desenhando mais divergências negativas, apoiadas numa “bearish island top”. A exponencial referida (hoje sensivelmente nos 4442) é a referência a monitorizar no curto prazo. Se o padrão continuar, lembramos que o próximo objectivo em alta está junto aos 4500. A quebra dos 4442 deve inicialmente obrigar a um teste à referência seguinte (hoje nos 4388).   Análise Anterior: S&P500 @ 4398   Desde a última nota, o índice não mais colocou em causa a sustentação acima da exponencial dos 50 períodos. Novo teste hoje na abertura, depois de marcar novas divergências negativas. Sugerimos redobradas cautelas se o preço sustentar abaixo da referência referida (agora nos 4393). O “gap down” de abertura de hoje, na mesma zona do anterior (assinalámos ambos com setas a amarelo), reforça a importância desta zona do ponto de vista técnico. Assim e para o curto prazo, iremos monitorizar o fecho de ontem (4419) como resistência e os 4393 como suporte. Análise Anterior: S&P500 @ 4358.69 (Fecho de quarta-feira)   O índice recuperou a totalidade da queda num ápice e já está também acima dos 4230 (depois de um 1º teste com sucesso à exponencial dos 50 dias). O gráfico horário mostra sinais que sugerem uma nova inversão em baixa. Esta ideia ganha forma com a inversão do MACD e/ou a quebra dos 4230/40 – Tentaremos elaborar um plano de entrada neste caso. Se o padrão de subida sobreviver a mais este aviso, como objectivos em alta temos os máximos (4392.6) e em seguida os 4491. Análise Anterior: S&P500 @ 4327 (Fecho de sexta-feira)   O índice fechou a semana na mesma zona onde tinha terminado a anterior (última nota). Conforme definido nessa altura, os 4280 são o 1º suporte a monitorizar, logo abaixo, a exponencial dos 50 dias (hoje nos 4247). Abaixo dos 4230 poderemos ter uma inversão de tendência importante. Mantemos para já um bias cauteloso e temos como referências técnicas numa óptica de “trading” os 4280/5, depois os 4315 e por fim os 4327 (como resistências/pontos de venda). A exponencial dos 200 dias é o suporte que irá atrair o preço se o índice não conseguir sustentar acima da exponencial dos 50 dias (mais uma vez, para hoje nos 4247). Análise Anterior: S&P500 @ 4320.82 (Fecho de quinta-feira)   A sessão de ontem trouxe mais um teste à exponenciais de curto prazo e novo aumento de volume. Os 4280 são o 1º suporte a monitorizar para investidores mais agressivos. Destacámos no gráfico diário os testes à exponencial dos 50 dias, primeira zona que iremos monitorizar com vista à elaboração de um plano (hoje nos 4215). Continuamos com um bias muito cauteloso até uma visita à exponencial dos 200 dias, não descartando a possibilidade de uma entrada logo na exponencial dos 50 dias. Análise Anterior: S&P500 @ 4219 Desde a nossa última nota (e último sinal de venda no gráfico horário), podemos escrever que “pouco se passou” no índices, continuando a abordagem componente a componente a fazer mais sentido. Fazemos de qualquer forma notar a incapacidade do preço para deixar para trás esta zona e mantêm-se os sinais de alarme no volume e no “momentum”. Temos como referência para o curto prazo os 4180 e os 4240. O índice abriu hoje com mais um forte “gap up”, padrão que tem atraído vendedores e volume. Especial atenção à referência intermédia nos 4220. Continuamos com um “bias” neutro/negativo. Análise Anterior: S&P500 @ 4185 A quebra em fecho horário dos 4188 está feita (nos 4185). O plano sugerido tem como objectivos os 3981 e como “stop” os 4219. Se o índice quebrar os 4130 em negociação, fará sentido alterar o “stop” para o “breakeven”.   Análise Anterior: S&P500 @ 4200 “Os mínimos são eventos e os topos são processos”. Esta máxima tem décadas e traduz de forma muito intuitiva o que é habitual ver nos índices quando “olhamos para trás”. Para além do fecho record do final de Abril/início de Maio, o gráfico semanal apresenta 5 fechos consecutivos no mesmo intervalo (inferior a 1%). Sabemos que tem entrado dinheiro (de retalho) em níveis nunca antes vistos nos fundos norte-americanos e sabemos que a complacência, não estando em máximos, apresenta níveis muito preocupantes para os investidores de prazo mais alargado. O nosso “bias” continua extremamente cauteloso e só deixará de o ser após uma correcção no gráfico diário, preferencialmente após um teste à exponencial dos 200 dias que é visitada praticamente todos os anos (faz sentido relembrar que a dita referência está hoje nos 3762 – mais de 10% abaixo dos níveis de hoje). É importante referir também que estamos apenas a esperar uma correcção de curto prazo, perfeitamente recorrente, mesmo nos “bull markets” mais agressivos. Tecnicamente e pensado apenas no que o comportamento histórico do preço nos “ensina”, olhamos agora apenas para baixo. Os volumes de todas as recuperações têm sido muito fracos, a mostrar uma participação cada vez menor. Alertamos também para o facto de o preço ter claudicado na extensão de Fibonacci de 123.6% no último máximo (4236). Na última nota destacámos os 4188 como o valor que define o nosso posicionamento numa óptica de “trading” de curto prazo, pelo que o plano de hoje terá essa referência como apoio. Sugerimos então uma entrada com um fecho horário abaixo dos 4188, o “stop” será colocado 5 pontos acima do máximo feito entretanto e como o objectivo técnico no gráfico diário dista bastante dos valores actuais, sugerimos um alvo que corresponda a 6 vezes a distância entre o ponto de entrada e o “stop” definido. Mais uma vez e porque o padrão de alta ainda não está invalidado, apenas 1/32 do risco máximo.   Análise Anterior: S&P500 @ 4127.84 - fecho de terça-feira O S&P500 testou o “gap” deixado nos 4188 e reagiu em baixa, com o gráfico horário a confirmar novo sinal de venda nos 4148. O padrão de alta está novamente em dúvida, mesmo após a reacção positiva à exponencial dos 50 dias (o índice reconquistou esta zona após um fecho abaixo, como tem sido hábito), uma vez que desenhou um “lower high” e não conseguiu suplantar os 4188. As próximas sessões irão decerto clarificar se os vários sinais de cansaço dos indicadores terão finalmente implicações no comportamento do preço. Zonas de referência para “trading” no curto prazo 4070, 4110/20, depois os 4150 e por fim o intervalo 4180/90.   Análise Anterior: S&P500 @ 4106 Fazemos notar, mais uma vez, a importância da zona dos 4120 como suporte. Abaixo desta referência temos a exponencial dos 50 dias nos 4070, e a dos 200 nos 3731. Acima dos 4120 o padrão de alta continua intacto. Análise Anterior: S&P500 @ 4122 Também o S&P500 desenhou uma “bull trap” acima da nossa referência de curto prazo, fazendo disparar no breakeven o “stop” para o plano sugerido na última nota. O “gap down” de hoje, na mesma zona do anterior (que fizemos notar na última nota), reforça a nossa de referência para as próximas sessões, agora o intervalo 4188/93. Abaixo desta zona mantemos um bias negativo no curto prazo. Continuamos a ver os 4120 como o suporte que pode adiar uma correcção mais prolongada. Veremos a próxima recuperação como uma oportunidade de venda desde que o preço não reconquiste os 4193. Análise Anterior: S&P500 @ 4163.92 (fecho de terça-feira) O S&P500 abriu ontem com um forte “gap down” que é agora a nossa referência para o curto prazo. Mantemos o objectivo defendido para esta correcção, mas para já sugerimos a alteração do “stop” para o “breakeven”.   Análise Anterior: S&P500 @ 4195 A abertura de hoje aponta para um “gap” de exaustão, mais uma vez com divergências negativas nos indicadores que utilizamos. A tendência de alta continua a ditar as regras mas o sentimento eufórico, aliado às condições referidas, permite a elaboração de um plano com objectivo na exponencial dos 50 dias (hoje nos 4024). Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais, 4195, com objectivo nos 4039 (a exponencial dos 50 dias tem inclinação positiva) e como “stop”, os 4221 (rácio retorno/risco de 6).  “Faz sentido assumir apenas 1/16 do risco máximo”   Análise Anterior: S&P500 @ 4165 É evidente a caminhada ascendente deste o último “breakout” (e nota), sempre suportada duas exponenciais de curto prazo no gráfico horário. O índice está a testar a dos 21 períodos, nos 4165. Logo abaixo temos uma importante zona de suporte, o intervalo 4137/50). Para manter o padrão actual, o S&P500 deve aguentar estas referências. Faremos novo “update” se o índice quebrar os 4137. Análise Anterior: S&P500 @ 4004 O índice abriu hoje com mais um forte “gap up”, desta vez claramente acima dos intervalo 3975/80 que travou o índice no último mês. Os sinais de esgotamento não foram debelados, o sentimento continua a denotar euforia (o que obriga a cautelas), mas o “preço é rei”. Acima dos 3975 o bias é positivo e o movimento de alta deve continuar. O fecho de hoje é importante para a confirmação de novo “breakout”. O índice continua sem fazer uma correcção que permita elaborar um plano de entrada, pelo que continuamos a defender uma abordagem componente a componente.   Análise Anterior:S&P500 @ 3909.52 (Fecho de 5ª feira) Depois de um fecho na zona do 1º suporte (3875/99), o índice foi testar a exponencial dos 50 dias, o suporte seguinte referido na última nota. Os movimento mais bruscos costumam ser desenhados contra a tendência vigente e mais uma vez o índice prepara-se para confirmar um sinal de compra no MACD horário, com o preço já muito distante de qualquer zona técnica que permita a elaboração de um plano. Continuamos a alertar para a perda de “momentum” e volume nos movimentos de alta, pelo que vamos continuar com um “bias” muito neutro e continuamos para já a defender e a preferir a abordagem aos seus componentes. Para a continuação desta toada de alta, “basta” que sustente acima dos 3850, mas começa a ser importante que deixe para trás o intervalo 3950/80…   Análise Anterior:S&P500 @ 3940.56 (Fecho de 2ª feira) O índice S&P500 reconquistou as exponenciais de curto prazo com dois “gap up” muito fortes (setas amarelas), continuando a denotar pouco “momentum” nos movimentos ascendentes. A divergência negativa no gráfico diário agrava-se desde a zona dos 3700 pontos, no que se apresenta como o 1º objectivo técnico para uma correcção de curto prazo. Continuamos a fazer notar a distância para a exponencial dos 200 dias, hoje na zona dos 3563. Como referências técnicas para o curto prazo, temos os 3950 como resistência e o intervalo 3875/99 como suporte, seguido da exponencial dos 50 dias (hoje nos 3851). Análise Anterior: S&P500 @ 3765 A abertura positiva de segunda-feira depois da aprovação de mais estímulos causou apenas algum “ruído” técnico no curto prazo, com o índice a voltar rapidamente e com volume, a testar a zona dos 3802 suporte seguinte no gráfico, nas imediações da exponencial dos 50 dias. A quebra trouxe de imediato as zonas seguintes (3767  e 3755), com o índice a fechar ontem nos 3768. Sendo sexta-feira, retomamos o gráfico semanal e a linha de tendência superior do “megafone” que o índice desenhou neste período temporal de análise. O preço está novamente a estar essa zona. Um alerta para a inversão do MACD semanal - destacámos os anteriores sinais.     A figura no gráfico semanal merece toda a nossa atenção, mas para já vamos ficar pela análise à zona dos 3811/20 (o índice esteve lá na recuperação após os números das 13h30). Não reconquistando esta zona e principalmente não aguentando os 3755, devemos esperar um teste aos mínimos do ano. Faremos novo update se o preço conseguir quebrar uma destas zonas (3662 ou 3820). Relembramos também a distância para a exponencial dos 200 dias, hoje nos 3520.       Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
26.08.2021 15:59
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4491   O índice já testou a extensão em alta que víamos como expectável para este movimento. Os suportes no gráfico diário estão bastante abaixo mas para já sugerimos apenas um plano para o curto prazo com base no padrão das últimas sessões e nas divergências negativas no teste à referência técnica na zona dos 4500. Com uma entrada nos níveis actuais (4491) e um “stop” @ 4511, temos como objectivo os 4391 (zona dos anteriores mínimos de curto prazo). Se o índice testar a exponencial das 50 horas (hoje nos 4467 com inclinação positiva), o “stop” deve ser imediatamente alterado para o “breakeven”. Continuamos com 1/32 do risco máximo.   S&P500 @ 4397   A quebra da exponencial dos 50 trouxe de facto o teste à referência seguinte. Para já este pequeno recuo é em tudo semelhante aos anteriores. A reconquista da exponencial dos 50 e a sustentação acima dos 4419, apoiariam esta idea. Por outro lado, a quebra do intervalo 4351/76, sugere uma correcção mais prolongada. A 1ª referência técnica para a sessão de hoje é exactamente o fecho de ontem, nos 4400.   Análise Anterior: S&P500 @ 4448 O índice continua a sustentar acima da exponencial dos 50 períodos, embora pouco tenha avançado nas últimas duas semanas, desenhando mais divergências negativas, apoiadas numa “bearish island top”. A exponencial referida (hoje sensivelmente nos 4442) é a referência a monitorizar no curto prazo. Se o padrão continuar, lembramos que o próximo objectivo em alta está junto aos 4500. A quebra dos 4442 deve inicialmente obrigar a um teste à referência seguinte (hoje nos 4388).   Análise Anterior: S&P500 @ 4398   Desde a última nota, o índice não mais colocou em causa a sustentação acima da exponencial dos 50 períodos. Novo teste hoje na abertura, depois de marcar novas divergências negativas. Sugerimos redobradas cautelas se o preço sustentar abaixo da referência referida (agora nos 4393). O “gap down” de abertura de hoje, na mesma zona do anterior (assinalámos ambos com setas a amarelo), reforça a importância desta zona do ponto de vista técnico. Assim e para o curto prazo, iremos monitorizar o fecho de ontem (4419) como resistência e os 4393 como suporte. Análise Anterior: S&P500 @ 4358.69 (Fecho de quarta-feira)   O índice recuperou a totalidade da queda num ápice e já está também acima dos 4230 (depois de um 1º teste com sucesso à exponencial dos 50 dias). O gráfico horário mostra sinais que sugerem uma nova inversão em baixa. Esta ideia ganha forma com a inversão do MACD e/ou a quebra dos 4230/40 – Tentaremos elaborar um plano de entrada neste caso. Se o padrão de subida sobreviver a mais este aviso, como objectivos em alta temos os máximos (4392.6) e em seguida os 4491. Análise Anterior: S&P500 @ 4327 (Fecho de sexta-feira)   O índice fechou a semana na mesma zona onde tinha terminado a anterior (última nota). Conforme definido nessa altura, os 4280 são o 1º suporte a monitorizar, logo abaixo, a exponencial dos 50 dias (hoje nos 4247). Abaixo dos 4230 poderemos ter uma inversão de tendência importante. Mantemos para já um bias cauteloso e temos como referências técnicas numa óptica de “trading” os 4280/5, depois os 4315 e por fim os 4327 (como resistências/pontos de venda). A exponencial dos 200 dias é o suporte que irá atrair o preço se o índice não conseguir sustentar acima da exponencial dos 50 dias (mais uma vez, para hoje nos 4247). Análise Anterior: S&P500 @ 4320.82 (Fecho de quinta-feira)   A sessão de ontem trouxe mais um teste à exponenciais de curto prazo e novo aumento de volume. Os 4280 são o 1º suporte a monitorizar para investidores mais agressivos. Destacámos no gráfico diário os testes à exponencial dos 50 dias, primeira zona que iremos monitorizar com vista à elaboração de um plano (hoje nos 4215). Continuamos com um bias muito cauteloso até uma visita à exponencial dos 200 dias, não descartando a possibilidade de uma entrada logo na exponencial dos 50 dias. Análise Anterior: S&P500 @ 4219 Desde a nossa última nota (e último sinal de venda no gráfico horário), podemos escrever que “pouco se passou” no índices, continuando a abordagem componente a componente a fazer mais sentido. Fazemos de qualquer forma notar a incapacidade do preço para deixar para trás esta zona e mantêm-se os sinais de alarme no volume e no “momentum”. Temos como referência para o curto prazo os 4180 e os 4240. O índice abriu hoje com mais um forte “gap up”, padrão que tem atraído vendedores e volume. Especial atenção à referência intermédia nos 4220. Continuamos com um “bias” neutro/negativo. Análise Anterior: S&P500 @ 4185 A quebra em fecho horário dos 4188 está feita (nos 4185). O plano sugerido tem como objectivos os 3981 e como “stop” os 4219. Se o índice quebrar os 4130 em negociação, fará sentido alterar o “stop” para o “breakeven”.   Análise Anterior: S&P500 @ 4200 “Os mínimos são eventos e os topos são processos”. Esta máxima tem décadas e traduz de forma muito intuitiva o que é habitual ver nos índices quando “olhamos para trás”. Para além do fecho record do final de Abril/início de Maio, o gráfico semanal apresenta 5 fechos consecutivos no mesmo intervalo (inferior a 1%). Sabemos que tem entrado dinheiro (de retalho) em níveis nunca antes vistos nos fundos norte-americanos e sabemos que a complacência, não estando em máximos, apresenta níveis muito preocupantes para os investidores de prazo mais alargado. O nosso “bias” continua extremamente cauteloso e só deixará de o ser após uma correcção no gráfico diário, preferencialmente após um teste à exponencial dos 200 dias que é visitada praticamente todos os anos (faz sentido relembrar que a dita referência está hoje nos 3762 – mais de 10% abaixo dos níveis de hoje). É importante referir também que estamos apenas a esperar uma correcção de curto prazo, perfeitamente recorrente, mesmo nos “bull markets” mais agressivos. Tecnicamente e pensado apenas no que o comportamento histórico do preço nos “ensina”, olhamos agora apenas para baixo. Os volumes de todas as recuperações têm sido muito fracos, a mostrar uma participação cada vez menor. Alertamos também para o facto de o preço ter claudicado na extensão de Fibonacci de 123.6% no último máximo (4236). Na última nota destacámos os 4188 como o valor que define o nosso posicionamento numa óptica de “trading” de curto prazo, pelo que o plano de hoje terá essa referência como apoio. Sugerimos então uma entrada com um fecho horário abaixo dos 4188, o “stop” será colocado 5 pontos acima do máximo feito entretanto e como o objectivo técnico no gráfico diário dista bastante dos valores actuais, sugerimos um alvo que corresponda a 6 vezes a distância entre o ponto de entrada e o “stop” definido. Mais uma vez e porque o padrão de alta ainda não está invalidado, apenas 1/32 do risco máximo.   Análise Anterior: S&P500 @ 4127.84 - fecho de terça-feira O S&P500 testou o “gap” deixado nos 4188 e reagiu em baixa, com o gráfico horário a confirmar novo sinal de venda nos 4148. O padrão de alta está novamente em dúvida, mesmo após a reacção positiva à exponencial dos 50 dias (o índice reconquistou esta zona após um fecho abaixo, como tem sido hábito), uma vez que desenhou um “lower high” e não conseguiu suplantar os 4188. As próximas sessões irão decerto clarificar se os vários sinais de cansaço dos indicadores terão finalmente implicações no comportamento do preço. Zonas de referência para “trading” no curto prazo 4070, 4110/20, depois os 4150 e por fim o intervalo 4180/90.   Análise Anterior: S&P500 @ 4106 Fazemos notar, mais uma vez, a importância da zona dos 4120 como suporte. Abaixo desta referência temos a exponencial dos 50 dias nos 4070, e a dos 200 nos 3731. Acima dos 4120 o padrão de alta continua intacto. Análise Anterior: S&P500 @ 4122 Também o S&P500 desenhou uma “bull trap” acima da nossa referência de curto prazo, fazendo disparar no breakeven o “stop” para o plano sugerido na última nota. O “gap down” de hoje, na mesma zona do anterior (que fizemos notar na última nota), reforça a nossa de referência para as próximas sessões, agora o intervalo 4188/93. Abaixo desta zona mantemos um bias negativo no curto prazo. Continuamos a ver os 4120 como o suporte que pode adiar uma correcção mais prolongada. Veremos a próxima recuperação como uma oportunidade de venda desde que o preço não reconquiste os 4193. Análise Anterior: S&P500 @ 4163.92 (fecho de terça-feira) O S&P500 abriu ontem com um forte “gap down” que é agora a nossa referência para o curto prazo. Mantemos o objectivo defendido para esta correcção, mas para já sugerimos a alteração do “stop” para o “breakeven”.   Análise Anterior: S&P500 @ 4195 A abertura de hoje aponta para um “gap” de exaustão, mais uma vez com divergências negativas nos indicadores que utilizamos. A tendência de alta continua a ditar as regras mas o sentimento eufórico, aliado às condições referidas, permite a elaboração de um plano com objectivo na exponencial dos 50 dias (hoje nos 4024). Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais, 4195, com objectivo nos 4039 (a exponencial dos 50 dias tem inclinação positiva) e como “stop”, os 4221 (rácio retorno/risco de 6).  “Faz sentido assumir apenas 1/16 do risco máximo”   Análise Anterior: S&P500 @ 4165 É evidente a caminhada ascendente deste o último “breakout” (e nota), sempre suportada duas exponenciais de curto prazo no gráfico horário. O índice está a testar a dos 21 períodos, nos 4165. Logo abaixo temos uma importante zona de suporte, o intervalo 4137/50). Para manter o padrão actual, o S&P500 deve aguentar estas referências. Faremos novo “update” se o índice quebrar os 4137. Análise Anterior: S&P500 @ 4004 O índice abriu hoje com mais um forte “gap up”, desta vez claramente acima dos intervalo 3975/80 que travou o índice no último mês. Os sinais de esgotamento não foram debelados, o sentimento continua a denotar euforia (o que obriga a cautelas), mas o “preço é rei”. Acima dos 3975 o bias é positivo e o movimento de alta deve continuar. O fecho de hoje é importante para a confirmação de novo “breakout”. O índice continua sem fazer uma correcção que permita elaborar um plano de entrada, pelo que continuamos a defender uma abordagem componente a componente.   Análise Anterior:S&P500 @ 3909.52 (Fecho de 5ª feira) Depois de um fecho na zona do 1º suporte (3875/99), o índice foi testar a exponencial dos 50 dias, o suporte seguinte referido na última nota. Os movimento mais bruscos costumam ser desenhados contra a tendência vigente e mais uma vez o índice prepara-se para confirmar um sinal de compra no MACD horário, com o preço já muito distante de qualquer zona técnica que permita a elaboração de um plano. Continuamos a alertar para a perda de “momentum” e volume nos movimentos de alta, pelo que vamos continuar com um “bias” muito neutro e continuamos para já a defender e a preferir a abordagem aos seus componentes. Para a continuação desta toada de alta, “basta” que sustente acima dos 3850, mas começa a ser importante que deixe para trás o intervalo 3950/80…   Análise Anterior:S&P500 @ 3940.56 (Fecho de 2ª feira) O índice S&P500 reconquistou as exponenciais de curto prazo com dois “gap up” muito fortes (setas amarelas), continuando a denotar pouco “momentum” nos movimentos ascendentes. A divergência negativa no gráfico diário agrava-se desde a zona dos 3700 pontos, no que se apresenta como o 1º objectivo técnico para uma correcção de curto prazo. Continuamos a fazer notar a distância para a exponencial dos 200 dias, hoje na zona dos 3563. Como referências técnicas para o curto prazo, temos os 3950 como resistência e o intervalo 3875/99 como suporte, seguido da exponencial dos 50 dias (hoje nos 3851). Análise Anterior: S&P500 @ 3765 A abertura positiva de segunda-feira depois da aprovação de mais estímulos causou apenas algum “ruído” técnico no curto prazo, com o índice a voltar rapidamente e com volume, a testar a zona dos 3802 suporte seguinte no gráfico, nas imediações da exponencial dos 50 dias. A quebra trouxe de imediato as zonas seguintes (3767  e 3755), com o índice a fechar ontem nos 3768. Sendo sexta-feira, retomamos o gráfico semanal e a linha de tendência superior do “megafone” que o índice desenhou neste período temporal de análise. O preço está novamente a estar essa zona. Um alerta para a inversão do MACD semanal - destacámos os anteriores sinais.     A figura no gráfico semanal merece toda a nossa atenção, mas para já vamos ficar pela análise à zona dos 3811/20 (o índice esteve lá na recuperação após os números das 13h30). Não reconquistando esta zona e principalmente não aguentando os 3755, devemos esperar um teste aos mínimos do ano. Faremos novo update se o preço conseguir quebrar uma destas zonas (3662 ou 3820). Relembramos também a distância para a exponencial dos 200 dias, hoje nos 3520.       Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
20.08.2021 10:23
Análise Técnica
DAX
DAX @ 15674   O índice Alemão esteve a consolidar desde Abril com máximos na zona dos 15800. Acompanhado por várias divergências negativas, o preço negociou algumas sessões acima dessa importante referência, que quebrou em baixa ontem com um “gap down”. Tecnicamente, abaixo dos 15800 sugerimos redobradas cautelas nas entradas nos componentes deste índice. Por outro lado, a exponencial dos 50 dias tem servido de suporte, com uma pequena excepção em meados de Julho. Esta referência, hoje nos 15633 (na zona dos mínimos da última sessão), apresenta-se como o último suporte antes de um expectável teste à exponencial dos 200 dias (hoje nos 14737, com inclinação claramente positiva). Com estas premissas, elaborámos um plano que só será válido com a quebra do mínimo de ontem (15621): Sugerimos um “trigger” de venda nos 15620, com um “stop” @ 15820 e como objectivo, os 14820. Continuamos com apenas 1/32 do risco máximo.         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
20.08.2021 08:30
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4397   A quebra da exponencial dos 50 trouxe de facto o teste à referência seguinte. Para já este pequeno recuo é em tudo semelhante aos anteriores. A reconquista da exponencial dos 50 e a sustentação acima dos 4419, apoiariam esta idea. Por outro lado, a quebra do intervalo 4351/76, sugere uma correcção mais prolongada. A 1ª referência técnica para a sessão de hoje é exactamente o fecho de ontem, nos 4400.   Análise Anterior: S&P500 @ 4448 O índice continua a sustentar acima da exponencial dos 50 períodos, embora pouco tenha avançado nas últimas duas semanas, desenhando mais divergências negativas, apoiadas numa “bearish island top”. A exponencial referida (hoje sensivelmente nos 4442) é a referência a monitorizar no curto prazo. Se o padrão continuar, lembramos que o próximo objectivo em alta está junto aos 4500. A quebra dos 4442 deve inicialmente obrigar a um teste à referência seguinte (hoje nos 4388).   Análise Anterior: S&P500 @ 4398   Desde a última nota, o índice não mais colocou em causa a sustentação acima da exponencial dos 50 períodos. Novo teste hoje na abertura, depois de marcar novas divergências negativas. Sugerimos redobradas cautelas se o preço sustentar abaixo da referência referida (agora nos 4393). O “gap down” de abertura de hoje, na mesma zona do anterior (assinalámos ambos com setas a amarelo), reforça a importância desta zona do ponto de vista técnico. Assim e para o curto prazo, iremos monitorizar o fecho de ontem (4419) como resistência e os 4393 como suporte. Análise Anterior: S&P500 @ 4358.69 (Fecho de quarta-feira)   O índice recuperou a totalidade da queda num ápice e já está também acima dos 4230 (depois de um 1º teste com sucesso à exponencial dos 50 dias). O gráfico horário mostra sinais que sugerem uma nova inversão em baixa. Esta ideia ganha forma com a inversão do MACD e/ou a quebra dos 4230/40 – Tentaremos elaborar um plano de entrada neste caso. Se o padrão de subida sobreviver a mais este aviso, como objectivos em alta temos os máximos (4392.6) e em seguida os 4491. Análise Anterior: S&P500 @ 4327 (Fecho de sexta-feira)   O índice fechou a semana na mesma zona onde tinha terminado a anterior (última nota). Conforme definido nessa altura, os 4280 são o 1º suporte a monitorizar, logo abaixo, a exponencial dos 50 dias (hoje nos 4247). Abaixo dos 4230 poderemos ter uma inversão de tendência importante. Mantemos para já um bias cauteloso e temos como referências técnicas numa óptica de “trading” os 4280/5, depois os 4315 e por fim os 4327 (como resistências/pontos de venda). A exponencial dos 200 dias é o suporte que irá atrair o preço se o índice não conseguir sustentar acima da exponencial dos 50 dias (mais uma vez, para hoje nos 4247). Análise Anterior: S&P500 @ 4320.82 (Fecho de quinta-feira)   A sessão de ontem trouxe mais um teste à exponenciais de curto prazo e novo aumento de volume. Os 4280 são o 1º suporte a monitorizar para investidores mais agressivos. Destacámos no gráfico diário os testes à exponencial dos 50 dias, primeira zona que iremos monitorizar com vista à elaboração de um plano (hoje nos 4215). Continuamos com um bias muito cauteloso até uma visita à exponencial dos 200 dias, não descartando a possibilidade de uma entrada logo na exponencial dos 50 dias. Análise Anterior: S&P500 @ 4219 Desde a nossa última nota (e último sinal de venda no gráfico horário), podemos escrever que “pouco se passou” no índices, continuando a abordagem componente a componente a fazer mais sentido. Fazemos de qualquer forma notar a incapacidade do preço para deixar para trás esta zona e mantêm-se os sinais de alarme no volume e no “momentum”. Temos como referência para o curto prazo os 4180 e os 4240. O índice abriu hoje com mais um forte “gap up”, padrão que tem atraído vendedores e volume. Especial atenção à referência intermédia nos 4220. Continuamos com um “bias” neutro/negativo. Análise Anterior: S&P500 @ 4185 A quebra em fecho horário dos 4188 está feita (nos 4185). O plano sugerido tem como objectivos os 3981 e como “stop” os 4219. Se o índice quebrar os 4130 em negociação, fará sentido alterar o “stop” para o “breakeven”.   Análise Anterior: S&P500 @ 4200 “Os mínimos são eventos e os topos são processos”. Esta máxima tem décadas e traduz de forma muito intuitiva o que é habitual ver nos índices quando “olhamos para trás”. Para além do fecho record do final de Abril/início de Maio, o gráfico semanal apresenta 5 fechos consecutivos no mesmo intervalo (inferior a 1%). Sabemos que tem entrado dinheiro (de retalho) em níveis nunca antes vistos nos fundos norte-americanos e sabemos que a complacência, não estando em máximos, apresenta níveis muito preocupantes para os investidores de prazo mais alargado. O nosso “bias” continua extremamente cauteloso e só deixará de o ser após uma correcção no gráfico diário, preferencialmente após um teste à exponencial dos 200 dias que é visitada praticamente todos os anos (faz sentido relembrar que a dita referência está hoje nos 3762 – mais de 10% abaixo dos níveis de hoje). É importante referir também que estamos apenas a esperar uma correcção de curto prazo, perfeitamente recorrente, mesmo nos “bull markets” mais agressivos. Tecnicamente e pensado apenas no que o comportamento histórico do preço nos “ensina”, olhamos agora apenas para baixo. Os volumes de todas as recuperações têm sido muito fracos, a mostrar uma participação cada vez menor. Alertamos também para o facto de o preço ter claudicado na extensão de Fibonacci de 123.6% no último máximo (4236). Na última nota destacámos os 4188 como o valor que define o nosso posicionamento numa óptica de “trading” de curto prazo, pelo que o plano de hoje terá essa referência como apoio. Sugerimos então uma entrada com um fecho horário abaixo dos 4188, o “stop” será colocado 5 pontos acima do máximo feito entretanto e como o objectivo técnico no gráfico diário dista bastante dos valores actuais, sugerimos um alvo que corresponda a 6 vezes a distância entre o ponto de entrada e o “stop” definido. Mais uma vez e porque o padrão de alta ainda não está invalidado, apenas 1/32 do risco máximo.   Análise Anterior: S&P500 @ 4127.84 - fecho de terça-feira O S&P500 testou o “gap” deixado nos 4188 e reagiu em baixa, com o gráfico horário a confirmar novo sinal de venda nos 4148. O padrão de alta está novamente em dúvida, mesmo após a reacção positiva à exponencial dos 50 dias (o índice reconquistou esta zona após um fecho abaixo, como tem sido hábito), uma vez que desenhou um “lower high” e não conseguiu suplantar os 4188. As próximas sessões irão decerto clarificar se os vários sinais de cansaço dos indicadores terão finalmente implicações no comportamento do preço. Zonas de referência para “trading” no curto prazo 4070, 4110/20, depois os 4150 e por fim o intervalo 4180/90.   Análise Anterior: S&P500 @ 4106 Fazemos notar, mais uma vez, a importância da zona dos 4120 como suporte. Abaixo desta referência temos a exponencial dos 50 dias nos 4070, e a dos 200 nos 3731. Acima dos 4120 o padrão de alta continua intacto. Análise Anterior: S&P500 @ 4122 Também o S&P500 desenhou uma “bull trap” acima da nossa referência de curto prazo, fazendo disparar no breakeven o “stop” para o plano sugerido na última nota. O “gap down” de hoje, na mesma zona do anterior (que fizemos notar na última nota), reforça a nossa de referência para as próximas sessões, agora o intervalo 4188/93. Abaixo desta zona mantemos um bias negativo no curto prazo. Continuamos a ver os 4120 como o suporte que pode adiar uma correcção mais prolongada. Veremos a próxima recuperação como uma oportunidade de venda desde que o preço não reconquiste os 4193. Análise Anterior: S&P500 @ 4163.92 (fecho de terça-feira) O S&P500 abriu ontem com um forte “gap down” que é agora a nossa referência para o curto prazo. Mantemos o objectivo defendido para esta correcção, mas para já sugerimos a alteração do “stop” para o “breakeven”.   Análise Anterior: S&P500 @ 4195 A abertura de hoje aponta para um “gap” de exaustão, mais uma vez com divergências negativas nos indicadores que utilizamos. A tendência de alta continua a ditar as regras mas o sentimento eufórico, aliado às condições referidas, permite a elaboração de um plano com objectivo na exponencial dos 50 dias (hoje nos 4024). Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais, 4195, com objectivo nos 4039 (a exponencial dos 50 dias tem inclinação positiva) e como “stop”, os 4221 (rácio retorno/risco de 6).  “Faz sentido assumir apenas 1/16 do risco máximo”   Análise Anterior: S&P500 @ 4165 É evidente a caminhada ascendente deste o último “breakout” (e nota), sempre suportada duas exponenciais de curto prazo no gráfico horário. O índice está a testar a dos 21 períodos, nos 4165. Logo abaixo temos uma importante zona de suporte, o intervalo 4137/50). Para manter o padrão actual, o S&P500 deve aguentar estas referências. Faremos novo “update” se o índice quebrar os 4137. Análise Anterior: S&P500 @ 4004 O índice abriu hoje com mais um forte “gap up”, desta vez claramente acima dos intervalo 3975/80 que travou o índice no último mês. Os sinais de esgotamento não foram debelados, o sentimento continua a denotar euforia (o que obriga a cautelas), mas o “preço é rei”. Acima dos 3975 o bias é positivo e o movimento de alta deve continuar. O fecho de hoje é importante para a confirmação de novo “breakout”. O índice continua sem fazer uma correcção que permita elaborar um plano de entrada, pelo que continuamos a defender uma abordagem componente a componente.   Análise Anterior:S&P500 @ 3909.52 (Fecho de 5ª feira) Depois de um fecho na zona do 1º suporte (3875/99), o índice foi testar a exponencial dos 50 dias, o suporte seguinte referido na última nota. Os movimento mais bruscos costumam ser desenhados contra a tendência vigente e mais uma vez o índice prepara-se para confirmar um sinal de compra no MACD horário, com o preço já muito distante de qualquer zona técnica que permita a elaboração de um plano. Continuamos a alertar para a perda de “momentum” e volume nos movimentos de alta, pelo que vamos continuar com um “bias” muito neutro e continuamos para já a defender e a preferir a abordagem aos seus componentes. Para a continuação desta toada de alta, “basta” que sustente acima dos 3850, mas começa a ser importante que deixe para trás o intervalo 3950/80…   Análise Anterior:S&P500 @ 3940.56 (Fecho de 2ª feira) O índice S&P500 reconquistou as exponenciais de curto prazo com dois “gap up” muito fortes (setas amarelas), continuando a denotar pouco “momentum” nos movimentos ascendentes. A divergência negativa no gráfico diário agrava-se desde a zona dos 3700 pontos, no que se apresenta como o 1º objectivo técnico para uma correcção de curto prazo. Continuamos a fazer notar a distância para a exponencial dos 200 dias, hoje na zona dos 3563. Como referências técnicas para o curto prazo, temos os 3950 como resistência e o intervalo 3875/99 como suporte, seguido da exponencial dos 50 dias (hoje nos 3851). Análise Anterior: S&P500 @ 3765 A abertura positiva de segunda-feira depois da aprovação de mais estímulos causou apenas algum “ruído” técnico no curto prazo, com o índice a voltar rapidamente e com volume, a testar a zona dos 3802 suporte seguinte no gráfico, nas imediações da exponencial dos 50 dias. A quebra trouxe de imediato as zonas seguintes (3767  e 3755), com o índice a fechar ontem nos 3768. Sendo sexta-feira, retomamos o gráfico semanal e a linha de tendência superior do “megafone” que o índice desenhou neste período temporal de análise. O preço está novamente a estar essa zona. Um alerta para a inversão do MACD semanal - destacámos os anteriores sinais.     A figura no gráfico semanal merece toda a nossa atenção, mas para já vamos ficar pela análise à zona dos 3811/20 (o índice esteve lá na recuperação após os números das 13h30). Não reconquistando esta zona e principalmente não aguentando os 3755, devemos esperar um teste aos mínimos do ano. Faremos novo update se o preço conseguir quebrar uma destas zonas (3662 ou 3820). Relembramos também a distância para a exponencial dos 200 dias, hoje nos 3520.       Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
18.08.2021 11:41
Análise Técnica
Update: EUR/USD
EUR/USD @1.1718   Enquanto o MACD horário estiver a apontar para cima, a divergência positiva no gráfico diário suporta o seguinte plano: - Entrada com um “buy trigger” @ 1.1732 com objectivo nos 1.1932. Como stop sugerimos os 1.1692. Esta ideia só é válida, repetimos, com o MACD horário com uma inclinação positiva. Continuamos com um risco reduzido, 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: EUR/USD @1.1776   O teste aos 1.17 está feito. O par tem-se mostrado incapaz de sustentar acima da exponencial dos 200 dias nos últimos 2 meses. Por outro lado, o mínimo da semana passada foi feito com uma clara divergência positiva no MACD diário. Acrescentamos que o enorme pessimismo (em relação ao dólar) do 1º semestre é agora muito menor, com as posições longas em dólar (curtas em Euro) a terem a maioria, ainda longe de extremos. Consideraremos entradas longas no intervalo 1.16/7 e estaremos especialmente atentos às reacções à exponencial dos 200 dias.       Análise Anterior: EUR/USD @1.1825   O para volta a estar a negociar claramente abaixo da exponencial dos 200 dias, o que sugere novo teste à zona dos 1.17 ou mesmo uma inversão de direcção dominante. Acima dos 1.2005 (dois fechos diários) teríamos de reavaliar, até lá, esperamos um teste aos mínimos de Março.       Análise Anterior: EUR/USD @1.2255   O par Euro/dólar passou as últimas 5 sessões a consolidar em cima da resistência intermédia que definimos na zona dos 1.22. Os indicadores estão a ficar esgotados, mas a sessão de hoje está a dar nova vida ao MACD diário o que pode suportar o “breakout”.     A consolidação sugere também um objectivo em alta para esse “breakout”, os 1.232. Esta ideia é válida acima dos 1.2240 e é negóciável num “retest”.     Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
20.09.2021 07:48
ChartBook US Macro
20 de Setembro de 2021
[ download ]
20.09.2021 07:48
ChartBook Forex
20 de Setembro de 2021
[ download ]
20.09.2021 07:47
ChartBook EUR Macro
20 de Setembro de 2021
[ download ]
20.09.2021 07:47
ChartBook Commodities
20 de Setembro de 2021
[ download ]
20.09.2021 07:47
ChartBook Sectores
20 de Setembro de 2021
[ download ]
20.09.2021 07:46
ChartBook PMI
20 de Setembro de 2021
[ download ]
20.09.2021 07:45
Masterlist Portugal
20 de Setembro de 2021
[ download ]
O preço do ouro atingiu os $1.780 hoje depois de ter afundado para $1.742 ontem, o nível mais baixo desde 12 de Agosto. Este aumento foi impulsionado pela confirmação de que a chinesa Evergrande falhou pagamentos de empréstimos a dois bancos na Segunda-feira.
A Uber dispara 7,38% para $42,73, com a notícia de que possa atingir o "breakeven" em termos de EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no quarto trimestre, ou seja, antes do previsto, impulsionado pela forte procura pela entrega de comida e recuperação de seu serviço de transporte. A Uber espera agora que, no terceiro trimestre, possa alcançar um EBITDA "entre um prejuízo de 25 milhões de dólares e um lucro de 25 milhões", contra uma previsão de um prejuízo de 100 milhões de dólares. Já para o quarto trimestre, a empresa antecipa agora um EBITDA "entre zero e 100 milhões de dólares" . A empresa também reviu em alta as previsões para as viagens no terceiro trimestre, esperando agora um montante entre 22,8 mil milhões e 23,2 mil milhões de dólares, contra a anterior previsão de 22 mil milhões e 24 mil milhões de dólares.
Os preços da electricidade atingiram máximos históricos em muitos países europeus, tornando a inflação notícia de primeira página. A inflação na Zona Euro foi de 3% em Agosto, muito acima do valor em Julho, com a energia responsável por quase metade da subida do índice de preços ao consumidor. Os inventários de gás natural estão quase esgotados, mesmo com a falta de vento que tem aumentando a dependência da electricidade movida a gás, levando os preços do gás natural para máximos. Contudo, os bancos centrais e investidores têm interpretações diferentes de quanto tempo a inflação poderá durar. Os preços dos contratos de swap sobre inflação, bem como os títulos indexados à inflação, sugerem que o crescimento da inflação dos EUA em relação ao ano anterior permanecerá igual ou acima de 2,6% até 2025. As expectativas de inflação na Zona Euro e no Reino Unido também aumentaram, não apenas para vencimentos de curto prazo, mas também para contratos de até cinco anos. Isso contrasta com as projecções dos economistas que esperam que a inflação volta ao normal em alguns meses.
Em Agosto, as licenças de construção nos EUA aumentaram 6,0% em relação ao mês anterior para 1,728 milhões, superando as previsões dos economistas de 1,6 milhões.  O índice de construção de novas habitações registou um aumento de 3,9% para,1,615 milhões em Agosto, face aos 1,554 milhões de unidades em Julho, acima da subida estimada de 1,0%.
A Lufthansa vai aumentar capital em €2,14 mil mn para antecipar o reembolso ao governo alemão que detém 15,94% da Lufthansa. A empresa vai emitir 597,7 milhões de novas acções a €3,58. Os accionistas actuais vão receber um direito de subscrição por cada acção que detêm. O período de subscrição decorre entre 22 de Setembro e 5 de Outubro, sendo que a negociação dos direitos arranca no mesmo dia, mas termina a 30 de Setembro.
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) reduziu as previsões para a economia mundial, estimando um crescimento de 5,7% em 2021, segundo o "Economic Outlook" divulgado hoje. A organização acredita que ainda é demasiado cedo para os governos e bancos centrais retirarem um apoio excepcional às suas economias apesar de um pico na inflação. Estas foram algumas das previsões: ► Zona Euro: A economia europeia deverá crescer 5,3% em 2021 de 4,3% estimado em Maio. ► Itália: O país recebeu a maior promoção da Europa: cresce 5,9% este ano, mais 1,4 pontos percentuais do que há 4 meses.  ► Espanha: A economia espanhola deve avançar 6,8% em 2021, mais 0,9 pontos percentuais do que previsto em Maio.  ► França: O ritmo da economia francesa, a segunda maior da Europa, também melhora avançando 6,3% ► Reino Unido pode crescer 6,7%, menos meio ponto percentual do que em Maio. ► Estados Unidos deve crescer 6%, menos 0,9 pontos do que há quatro meses.
 A Greenvolt juntou-se ontem à EDP - Energias de Portugal, EDP Renováveis, REN - Redes Energéticas Nacionais e Galp Energia no índice PSI-20. Estas cinco empresas representam, em conjunto, mais de 40% do índice nacional. A perspectiva de crescimento das renováveis tem sido um dos condutores de investimento a captaram a atenção dos investidores ao longo do ano passado. A EDP Renováveis mais que duplicou de valor em 2020 e chegou mesmo a máximos de sempre. As acções da Greenvolt foram vendidas na oferta pública inicial a €4,25. Desde então, os títulos já valorizaram mais de 43,06% para os actuais €6,08.
O índice S&P 500 afundou 5,2% desde o início de Setembro. Esta foi a 29.ª correcção (> 5%) do índice S&P 500 desde o mínimo de Março 2009. Qual é a probabilidade de quedas do índice S&P 500? -1% acontece em média todos os anos. -5% acontece a cada 1,1 anos em média. -10% acontece a cada 1,6 anos em média. -15% acontece a cada 2,5 anos em média. -20% acontece a cada 4 anos em média. -30% acontece a cada 9 anos em média.
Hoje entraram as acções da Universal Music Group na Euronext Amesterdão. Esta foi a maior estreia na Europa este ano, resultando de um spin-off de 60% da francesa Vivendi. Os accionistas da Vivendi receberam acção da UMG por cada acção da  Vivendi ao preço de referência de €18,50 por acção. O negócio que está por trás de nomes como Lady Gaga, Taylor Swift e The Weeknd está a apostar no boom de "streaming" que impulsionou a sua receita recente e o crescimento dos lucros.
Hoje pelas 10h00, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) publicará o seu "Outlook" económico intercalar, com as previsões para as maiores economias do mundo. Nos Estados Unidos arranca a reunião de dois dias sobre a política monetária da Reserva Federal. Amanhã, será anunciada a decisão pelas 19h00, seguido pelo discurso de Powell, presidente da Fed, pelas 19h30. Não são esperadas alterações nesta reunião mas talvez em Novembro poderá ser anunciada a redução de estímulos. Na Ásia, o índice Nikkei 225 desvalorizou 2,16% e as Bolsas de Valores de Xangai, Seul e Taiwan estiveram encerradas devido a feriado. Evergrande continua no centro das atenções porque a empresa terá de reembolsar o vencimento de uma obrigação a 5 anos, num montante de $83 mil mn na Quinta-feira e se falhar entrará em incumprimento e possivelmente insolvência. As bolsas norte-americanas afundaram mais de 2%, com os receios em torno da possível falência da Evergrande e os seus efeitos sobre o sistema financeiro. As acções cíclicas foram as mais penalizadas mas também as acções ligadas à China. Ontem, os Estados Unidos decidiu adoptar regras menos severas para quem viaja para a Europa, podendo essas viagens ser feitas sem restrições por pessoas vacinas presumivelmente a partir de Novembro o que beneficiou as transportadoras aéreas. Dados Macroeconómicos:  10h00: OCDE publica "Outlook" económico   13h30: Licenças de Construção (Ago)   13h30: Casas em início de Construção (Ago) Eventos:  Bolsas de Valores de Xangai, Seul e Taiwan encerradas devido a feriado  08h05: Discurso de Guindos, vice-presidente do BCE   08h30: Decisão da taxa de juro pelo Banco Central da Suécia Resultados Empresariais:  AutoZone (AA), Adobe (DF), FedEx (DF) Estes são os principais destaques da imprensa hoje:  Portugueses gastam 1.600 milhões lá fora  Martifer ganha um contrato de 35 milhões em Marselha  Bolsa de Frankfurt está de cara lavada e com mais 380 mil milhões  Economia recupera mas défice comercial afunda  Galp recusou proposta do Governo para pagar formação em Matosinhos  Alemanha: Fim de uma era política põe em causa modelo económico  Pfizer vai pedir autorização para vacinar menores de 12. Ensaios já mostram eficácia  Partido de Putin perde votos mas mantém uma supermaioria  Dois mil condenados por violência doméstica obrigados a reabilitação  Portugal e União Europeia expressam solidariedade com França e dizem que Austrália "furou compromissos"  Trabalho híbrido aumenta produtividade, mas também pressão sobre líderes
Os investigadores dos CDC realizaram uma análise de quase 3.689 adultos que foram hospitalizados com Covid-19 grave entre 11 de Março e 15 de Agosto de 2021, o período que antecede e inclui o auge da variante delta. No geral, 12,9% deles foram completamente vacinados com as doses da Moderna, 20,0% com a Pfizer-BioNTech e 3,1% com a Johnson & Johnson. Ao longo de todo o período, a vacina da Moderna teve uma eficácia de 93% contra a hospitalização, a da Pfizer de 88% e a da J&J de 68%. A perda de eficácia contra a hospitalização no caso da Pfizer foi especialmente pronunciada: caiu de 91% entre 14 e 120 dias depois da vacinação para 77% mais de 120 dias depois da vacinação. Por outro lado, a Moderna caiu de 93% para 92% ao comparar os mesmos dois períodos.
Setembro é um mês historicamente fraco para o mercado de acções. O índice S&P 500 regista uma perda média de 0,4% no nono mês do ano, a pior de todos os meses, de acordo com o Stock Trader’s Almanac. Na Sexta-feira começou um período historicamente fraco para as acções, dado que as perdas de Setembro normalmente acontecem na segunda metade do mês.
 O contágio da China é a principal preocupação hoje com a possibilidade de "default" da Evergrande, o aumento da regulamentação pela China e a desaceleração da economia chinesa. A Europa é vista como particularmente vulnerável, tendo em conta que tem 8% de exposição à China em comparação com apenas 4% das empresas norte-americanas, 6% das empresas japonesas e 3,6% para empresas dos mercados emergentes. Estas são as 50 empresas europeias com a maior exposição à China, de acordo com o Morgan Stanley.
Hoje as bolsas europeias estão em modo "sell off" com o índice Stoxx 600 a afundar 2,38%, ou seja, a sua maior queda desde Outubro 2020. Os futuros em Nova Iorque também estão a desvalorizar quase 2% com os receios de Evergrande a contagiarem as bolsas mundiais.
As principais mudanças desde a última reunião da Reserva Federal são: ► Diminuição do desemprego; ► Descida da inflação; ► Aumentos salariais; ► Expectativas de inflação mistas. Actualmente, os investidores esperam que a Reserva Federal anuncie uma redução gradual da dívida em Novembro, terminando o programa em meados de 2022.
Tendência de Investimento
Água
21.05.2021
Hoje Feriados
  • 9
    22
    [cn]Bolsas de valores de Hong Kong e Seul encerradas devido a feriado
    [jp]Decisão da taxa de juro pelo Banco do Japão
    [us]15h00: Vendas de Casas Usadas (Ago)
    [eu]15h00: Confiança do Consumidor (Set)
    [us]15h30: Inventários Semanais de Energia 
    [us]19h00: Decisão da taxa de juro pela Reserva Federal 
    [us]19h30: Discurso de Powell, presidente da Fed
  • 9
    23
    [jp]Bolsa de valores de Tóquio encerrada devido a feriado
    [fr]07h45: Indicadores de Confiança França (Set)
    [es]08h00: PIB Espanha (2.º Tri)
    [ch]08h30: Decisão da taxa de juro pelo Banco Central da Suíça
    [no]09h00: Decisão da taxa de juro pelo Banco Central da Noruega
    [eu]09h00: Índice PMI (Set)
    [uk]12h00: Decisão da taxa de juro pelo Banco de Inglaterra
    [us]13h30: Pedidos Semanais de Subsídio de Desemprego 
    [us]14h45: Índice PMI (Set)


  • 9
    24
    [jp]00h30: Inflação (Ago)
    [jp]01h30: Índice PMI (Set)
    [jp]06h00: Vendas a Retalho (Ago)
    [de]09h00: Índice IFO (Set)
    [uk]11h00: Vendas a Retalho (Set)
    [us]15h00: Vendas de Casas Usadas (Ago)
    [us]Discursos de vários membros da Fed: Mester (13h45), Powell, Clarida e Bowman (15h00) e George (15h05)
     
  •  

  •  

  •  

Invest Outlook   3º Trimestre 2021
21.09.2021 Análise Técnica

Update: EUROSTOXX50


09.09.2021 Prémio de Risco

Saiba o que é, como medir e a sua importância


10.09.2021 Invest Monthly

Agosto de 2021


Os Benefícios da Diversificação

  • Hoje

    set 22, 2021, 01:00 by DCO Elizabeth Fonseca
    Saiba quais os principais indicadores económicos e resultados empresariais agendados para hoje
    Full story
ACESSO INVEST ONLINE
Este site utiliza cookies para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. SABER MAIS Concordo